Relembre as demissões do governo Bolsonaro em 2020

Este ano foi marcado por instabilidades envolvendo o setor da saúde por conta da pandemia, contudo, o cenário político no Brasil também sofreu alterações.

O ano de 2020 passou por momentos complicados, principalmente devido à pandemia do novo coronavírus. No cenário político não foi diferente, o governo Bolsonaro passou por altos e baixos. Nesse meio tempo, muitas pessoas foram demitidas ou se demitiram de seus cargos no 1° escalão, incluindo nomes como o de Sérgio Moro. Confira, portanto, uma retrospectiva das demissões do governo de Jair Bolsonaro em 2020.

Demissões do governo Bolsonaro em 2020

Gustavo Canuto (Desenvolvimento Regional)

Canuto
Foto: Agência Brasil

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Essa foi a primeira demissão do alto escalão do governo em 2020. Em fevereiro o ministro Canuto foi desligado do ministério de Desenvolvimento Regional. Contudo, foi realocado para a presidência do Dataprev. Canuto foi substituído por Rogério Marinho, secretário Especial do Trabalho e da Previdência.

Osmar Terra (Cidadania)

demissões governo bolsonaro - osmar terra
Foto: Agência Câmara

Osmar Terra já estava com a relação desgastada com Bolsonaro desde 2019, quando o presidente decidiu transferir a Secretaria Especial da Cultura para o Ministério do Turismo em meio à uma crise na pasta. Em 13 de fevereiro deste ano, ele foi demitido. Terra foi substituído por Onyx Lorenzoni, até então ministro da Casa Civil

Henrique Mandetta (Saúde)

Demissões governo Bolsonaro - Mandetta
Foto: Agência Brasil

Um das demissões mais comentadas do ano foi a do ministro da Saúde Henrique Mandetta que saiu do cargo no meio da pandemia da COVID-19. O ministro tinha fortes desavenças com Bolsonaro por conta da maneira de trabalhar. Mandetta disse que estava esgotado e não poderia seguir no governo. Ele foi substitudo por Nelson Teich, que mais tarde também deixou o cargo.

Sergio Moro (Justiça e Segurança Pública)

Governo Bolsonaro: Sérgio Moro com microfone
Sérgio Moro foi o Ministro da Justiça e um dos ‘protagonistas’ do Governo Bolsonaro. Fonte: Agência Brasil

Outra demissão polemica foi a Sérgio Moro, ex-ministro da Justiça. Moro, antes aliado de Bolsonaro, pediu para sair do cargo, pois afirmava que o presidente queria fazer interferências na Polícia Federal para beneficiar sua família. O advogado André Luiz Mendonça assumiu a pasta.

Nelson Teich (Saúde)

Demissões governo Bolsonaro - Nelson Teich

Antes de completar um mês no cargo, Teich deixou a pasta da Saúde também por divergências com o presidente, sobre temas como uso da cloroquina e isolamento social. Foi a segunda demissão no ministério durante o ápice da pandemia do coronavírus.

Weintraub – Demissões governo Bolsonaro

weintraub
Foto: Agência Brasil

No mês de abril o então ministro da educação Abraham Weintraub anunciou que deixaria a pasta. Em uma rede social, Weintraub informou que passará a ser diretor do Banco Mundial, em Washington (EUA). o ex-ministro é  alvo de um inquérito no Supremo Tribunal Federal que apura o suposto crime de racismo por publicações de Weintraub sobre a China.

O antigo ministro também é alvo do inquérito que apura a disseminação de fake news e ameaças a ministros do Supremo Tribunal Federal. Milton Ribeiro assumiu o cargo após a demissão de Weintraub.

Regina Duarte – Demissões do governo Bolsonaro

demissões governo bolsonaro - regina duarte
Foto: Carolina Nunes/PR

Regina Duarte foi uma figura polemica nos tempos em que assumiu a secretaria de cultura no governo Bolsonaro. A atriz teve falas consideradas insensíveis com as vitimas da ditadura militar. Contudo, sua passagem pelo cargo foi rápida, em meio deste ano, ela deixou a pasta. O também ator Mário Frias assumiu seu lugar tempo depois.

Informar Erro

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes