Banco Mundial: saiba mais sobre o novo destino de Weintraub

Depois de uma passagem tumultuada e cheia de polêmicas no Ministério da Educação, ex-ministro da Educação, o economista Abraham Weintraub foi eleito diretor executivo do Conselho do Banco Mundial (Bird), que faz parte do Banco Mundial.

0 490

Criado em 1944 sob os auspícios das Nações Unidas nos últimos dias da Segunda Guerra Mundial, o Banco Mundial nasceu o objetivo de atender às necessidades dos países em desenvolvimento para auxiliar seu avanço econômico. Sediada em Washington DC, a instituição atualmente possui mais de 10.000 funcionários em mais de 120 escritórios em todo o mundo.

Então, saiba mais sobre o novo trabalho do ex-ministro da Educação, o economista Abraham Weintraub,  eleito diretor executivo do Conselho do Banco Mundial (Bird) em 2020.

O que é Banco Mundial?

Abraham Weintraub é o novo diretor do Banco Mundial
Fachada do Banco Mundial, Washington D.C, EUA. (Foto:reprodução/Pixabay)

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

O Banco Mundial é uma organização internacional dedicada a fornecer financiamento, aconselhamento e pesquisa aos países em desenvolvimento para auxiliar seu avanço econômico. A instituição atua predominantemente como uma organização que tenta combater a pobreza, oferecendo assistência ao desenvolvimento para países de renda média e baixa.

O Banco Mundial fornece aos governos empréstimos com juros baixos, créditos com juros zero e subsídios, todos com o objetivo de apoiar o desenvolvimento de economias individuais. Empréstimos de dívida e infusões de dinheiro ajudam na educação global, assistência médica, administração pública, infraestrutura e desenvolvimento do setor privado. O Banco Mundial também compartilha informações com várias entidades por meio de aconselhamento sobre políticas, pesquisa e análise e assistência técnica. Oferece consultoria e treinamento para os setores público e privado.

História do banco

O Banco Mundial foi criado em 1944 para ajudar a reconstruir a Europa e o Japão após a Segunda Guerra Mundial. Seu nome oficial era Banco Internacional de Reconstrução e Desenvolvimento (BIRD). Quando iniciou suas operações em 1946, tinha 38 membros. Hoje, a maioria dos países do mundo são membros.

A Conferência de Bretton Woods de 1944 estabeleceu o Banco Mundial. Seus empréstimos ajudaram os países europeus a se restabelecerem após a Segunda Guerra Mundial.

Isso o tornou o primeiro banco multilateral de desenvolvimento do mundo. Foi financiado através da venda de títulos. Seus primeiros empréstimos foram para a França e outros países europeus. Desde então, o Banco Mundial trabalhou com países em desenvolvimento, como Índia e China, em projetos que incluem transporte ferroviário.

 

Entendendo o Banco Mundial

Um é o Banco Internacional de Reconstrução e Desenvolvimento, que fornece empréstimos, crédito e doações. O segundo é a Associação Internacional de Desenvolvimento, cuja finalidade é oferece empréstimos com juros baixos ou sem juros a países de baixa renda.

O Banco trabalha em estreita colaboração com outras três organizações do Grupo Banco Mundial:

  • A International Finance Corporation (IFC) fornece investimento, consultoria e gerenciamento de ativos a empresas e governos.
  • A Agência Multilateral de Garantia de Investimentos (MIGA) garante credores e investidores contra riscos políticos, como a guerra.
  • O Centro Internacional para Solução de Controvérsias sobre Investimentos (ICSID). Resolve disputas de investimento entre investidores e países.

Quem faz parte do Banco Mundial?

Hoje, fazem parte do Banco Mundial 189 países (sendo 189 no BIRD e 173 na AID). Para fazer parte do BIRD, um país deve, obrigatoriamente, fazer parte do Fundo Monetário Internacional (FMI), da ONU.

O poder de voto dentro do Banco Mundial tem a ver com o tamanho da economia de cada país, pois é isso que determina quanto cada um contribui com a instituição. Atualmente, o país com maior poder de voto é os Estados Unidos. Aliás, o Brasil está no top 15.

 

Qual a diferença entre FMI e Banco Mundial?

A principal diferença entre o Fundo Monetário Internacional (FMI) e o Banco Mundial está em seus respectivos objetivos e funções. Contudo, o FMI supervisiona a estabilidade do sistema monetário mundial, enquanto o objetivo do Banco Mundial é reduzir a pobreza, oferecendo assistência a países de renda média e baixa.

Ambas as organizações estão baseadas em Washington, DC, e foram estabelecidas como parte do Acordo de Bretton Woods em 1945. O Acordo de Bretton Woods era um sistema de gerenciamento de taxas monetárias e cambiais que tentava incentivar a cooperação financeira internacional através da introdução de um sistema de moedas conversíveis.

Além disso, o Banco Mundial e seus grupos subsidiários operam dentro de suas próprias provisões e desenvolvem seus próprios produtos de assistência financeira proprietários, todos com o mesmo objetivo de atender às necessidades de capital dos países internacionalmente.

FMI

No entanto, a contraparte do Banco Mundial, o FMI, está estruturado mais como um fundo de crédito. A diferença na estruturação das duas entidades e suas ofertas de produtos permite que eles forneçam diferentes tipos de empréstimos e apoios financeiros. Cada entidade também possui várias responsabilidades próprias para servir a economia global.

O FMI, por sua vez, é o órgão da ONU que objetiva o crescimento econômico dos países, principalmente aqueles que estão em desenvolvimento. Também a promoção de altos níveis de emprego, redução da pobreza mundial, e garantia de estabilidade financeira dos países-membros.

Mas também, “o FMI trabalha para promover a cooperação monetária global”, ou seja, por meio de pesquisas, previsões e levantamentos econômicos acompanham as economias, relações comerciais e  crescimento mundial monetário.

Desse modo, o Banco Mundial e o FMI concedem empréstimos ao seus países-membros e que necessitam de ajuda financeira, porém impõem diretrizes para que o recurso financeiro seja investido a fim de promover o crescimento sustentável e políticas públicas que reduzam as desigualdades.

 

Entenda como Weintraub virou Diretor Executivo 

Abraham Weintraub quando ainda era ministro da educação
Abraham Weintraub, novo Diretor-Executivo do Banco Mundial (Foto: Fabio Rodrigues Pazzebom/Agência Brasil)

Depois de uma passagem tumultuada e cheia de polêmicas no Ministério da Educação, o economista Abraham Weintraub foi eleito diretor executivo do Conselho do Banco Mundial (Bird), em 2020. A confirmação aconteceu no dia 30 de julho.

Assim sendo, entre as funções de Weintraub está avaliar e decidir a respeito das propostas de empréstimo e crédito do banco.

A indicação ao cargo foi feita em 19 de julho, um dia após deixar o Ministério da Educação (MEC) e utilizar o passaporte diplomático para entrar nos EUA.

De acordo com nota publicada pelo Banco Mundial, “o Sr. Weintraub deve assumir seu cargo na primeira semana de agosto e cumprirá o atual mandato que termina em 31 de outubro de 2020, quando a posição será novamente aberta para eleição”, diz trecho.

Conforme destacado pela instituição, “diretores executivos não são funcionários do Banco Mundial. Eles são nomeados ou eleitos pelos representantes dos nossos acionistas”.

Então, Weintraub foi eleito pelo grupo Constituency, em que o Brasil divide a cadeira no Conselho Administrativo com Colômbia, República Dominicana, Equador, Haiti, Panamá, Filipinas, Suriname e Trinidad e Tobago. 

O ex-ministro da Educação se envolveu em várias polêmicas, como a defender a prisão de ministros do Superior Tribunal Federal (STF) em uma reunião ministerial em abril, cortes de gastos na educação, adiamento do Enem 2020, por exemplo. Com isso,  Weintraub enfrentou resistência de funcionários do banco que se organizam contra sua indicação.

Informar Erro

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes