Vacinação contra a Covid-19 pode iniciar ainda em dezembro, diz Pazuello

Se for aprovada pela Anvisa, a vacinação contra a Covid-19 pode começar, em caráter emergencial, no final de dezembro e no mais tardar, início de janeiro de 2021

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello afirmou que é possível começar a vacinação contra a Covid-19 em caráter emergencial da população em dezembro ou janeiro.

Segundo ministro, a única exigência está na autorização da aprovação da vacina pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária  (Anvisa) e também da entrega das vacinas pelos laboratórios.

Vacinação contra a Covid-19

Pazuello disse ainda que, por ser em caráter emergencial, a vacinação contra a Covid-19 pode acontecer a qualquer momento, inclusive no final de dezembro.“Se a Pfizer conseguir autorização emergencial e se a Pfizer nos adiantar alguma entrega, pode acontecer em janeiro, final de dezembro em doses pequenas, que são de uso emergencial”, disse o ministro.

Ele alertou ainda que o independe do laboratório e ressaltou que ‘pode acontecer com a Pfizer, pode acontecer com o Butantan, com a AstraZeneca, mas isso aí é foro íntimo da desenvolvedora…não é uma campanha de vacinação’.

As informações foram dadas na manhã desta quarta-feira (08) em entrevista à CNN. No dia anterior, Pazuello fez um pronunciamento para a imprensa, mas não citou detalhes sobre o Plano Nacional de Imunização, recém lançado pelo governo federal.

Aprovação da Anvisa

Um dia antes, o presidente da Pfizer no Brasil, Carlos Murillo, disse que é possível começar a vacinação quase imediatamente após um registro emergencial da Anvisa e que, dependendo do avanço e diálogos dos órgãos brasileiros, o processo de vacinação possa ter início em janeiro.

“No caso do Reino Unido, a autorização sanitária foi dada na semana passada e a vacinação começou nesta terça-feira (8)”, lembrou Murillo.

Vale lembrar que o aval da Anvisa, será concedido rapidamente caso os critérios sejam atingidos para imunizações ainda em fase de estudo.

Armazenamento da vacina

O presidente da Pfizer no Brasil disse que a empresa tem contêineres portáteis capazes de transportar até 5 mil doses da vacina em temperatura necessária (-70ºC) e armazená-las por até 30 dias.

O país terá ao menos 300 milhões de doses de vacinas a partir do ano que vem.

Vacinação contra a Covid-19 – Laboratórios

  • 100 milhões da AstraZeneca/Universidade de Oxford,
  • 160 milhões dessa vacina a serem produzidas pela Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz)
  • 40 milhões do consórcio internacional Covax Facility.
  • 70 milhões de doses da Pfizer (que o governo tem a intenção de comprar)

O ministro disse que não tem informações sobre a Coronavac, vacina do Butantan em parceria com a chinesa Sinovac.

Você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.