Como fazer cirurgia plástica pelo SUS: Saiba quem pode e como ter direito

Casos de deformidade e doenças que afetam a funcionalidade do corpo, além de gerar traumas psicológicos, podem receber o tratamento gratuitamente. Saiba quais casos podem receber o benefício e como fazer cirurgia plástica pelo SUS passo a passo.

O mundo é obcecado pela beleza. Ano a ano, aumenta a realização número de procedimentos estéticos e também as técnicas oferecidas para interferir na aparência. Por isso, muitas vezes a cirurgia plástica é vista como uma área superficial da medicina. Mas a verdade é que ela pode transformar a vida de pessoas que sofrem com algumas condições que não as permitem levar uma vida normal. Nesses casos, há opções gratuitas, como fazer cirurgia plástica pelo SUS.

Existem duas abordagens para a cirurgia plástica. Ou ela é estética, ou é reparadora. Quando é estética, busca realizar melhoras na aparência. Já a reparadora corrige deformações, defeitos de nascença ou adquiridos ao longo da vida. Muitas cirurgias e procedimentos estéticos sejam feitos na maioria dos casos sem necessidade médica. Mas outras são utilizadas no resgate da qualidade de vida de muitas pessoas. É por isso que é possível encontrar recursos como fazer a cirurgia plástica pelo SUS.

 

A cirurgia plástica no Brasil

O Brasil é o campeão no mundo em número de cirurgias plásticas estéticas. É que comprova uma pesquisa divulgada pela Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética (ISAPS). Até o fim de 2018, há registro de mais de 1 milhão 498 mil cirurgias plásticas estéticas em nosso país. Ainda, feitos mais de 969 mil procedimentos estéticos não-cirúrgicos.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

De acordo com dados da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), o número de procedimentos estéticos corresponde a 60% dos casos, aproximadamente. Cirurgias reparadoras, por sua vez, configuram cerca de 40%.

Enquanto entre as cirurgias estéticas a maior procura é por aumento de mamas, lipoaspiração e abdominoplastia; as cirurgias reparadoras tem maior número em retirada de tumores cutâneos e pós obesidade e revisão de cicatrizes.

 

Por que o SUS oferece a cirurgia plástica

O SUS (Sistema Único de Saúde) entende que existem casos onde a cirurgia plástica é tão necessária quanto qualquer outro tipo de intervenção cirúrgica.  Nesses casos, as cirurgias procuram aprimorar ou recuperar as funções, e ainda restabelecer a forma mais próxima possível do normal.

Algumas pessoas tem direitos como fazer cirurgia plástica pelo SUS
Imagem: Reprodução / Pinterest

 

É o caso de quem tem deformidades de nascença, ou traumas físicos e psicológicos, alterações do desenvolvimento, passou por acidentes ou tem sequelas de um câncer… Ainda, quando existe perda funcional parcial ou total de alguma parte do corpo.

Se você está se perguntando como fazer cirurgia plástica pelo SUS, é importante saber que os critérios para realizar a cirurgia variam. Eles incluem não apenas fatores físicos – mas psicológicos também. Isso porque algumas deformidades não afetam de maneira funcional. Entretanto, podem causar traumas que se convertem em problemas sociais e emocionais, por exemplo.

 

Quais cirurgias plásticas o SUS cobre?

A otoplastia é uma das cirurgias plásticas cobertas pelo SUS
Imagem: Reprodução / Pinterest

Cirurgia de Fenda Palatina

Cobre a cirurgia para quem é tem o problema genético que causa deformação na região da boca e do nariz.

Cirurgia plástica pelo SUS: Lábio Leporino

Na sequência, outra cirurgia comum. Ela reconstrói a área afetada pelo problema genético que pode atingir até os dentes e também a gengiva.

Otoplastia

Em terceiro lugar, a cirurgia de reparação nas orelhas. Nos casos em que são muito afastadas e geram traumas de ordem psicológicas na pessoa.

 

Cirurgia plástica pelo SUS:  Gigantomastia

Feita nos casos em que o tamanho das mamas ultrapassam os volumes convencionais.

 

Cirurgia de Ginecomastia

Para homens que têm hipertrofia das mamas, com tamanho fora do parâmetro normal.

 

Implante de Silicone e Reconstrução da Mama

Na sequência, mais uma cirurgia muito procurada. Isso porque ela é feita para mulheres que retiraram o seio ou parte dele por conta do câncer.

 

Abdominoplastia

Essa cirurgia, em quase todas as vezes se torna necessária, após a gastroplastia. Pois a abdominoplastia consiste na remoção cirúrgica do excesso de pele abdominal.

 

Cirurgia plástica reparadora para lipodistrofia do portador HIV

Os portadores do vírus podem passar por acúmulos ou redução de gordura pelo corpo em níveis anormais.

 

Tratamentos de pele

Para pessoas que sofreram queimaduras;

 

Rinoplastia Reparadora

Em casos de traumas, deformidades e desvio de septo, por exemplo.

 

Cirurgia de Redesignação Sexual

Para homens e mulheres que não se identificam com o gênero que nasceram biologicamente.

Reparo de lesões causadas por violência doméstica

Por último, infelizmente, o Brasil tem dados alarmantes de violência contra mulheres. A cada 5 minutos, uma mulher é vítima de agressão.

Por isso, o SUS procura ajudar as mulheres que foram agredidas por seus ex, ou atuais parceiros. As cirurgias que o sistema oferece são cirurgia plástica reparadora e reconstrutiva, tratamento de queimados e outras.

 

Esses são alguns procedimentos, de forma geral. Mas é importante que você busque o SUS do seu município e apresente a sua necessidade. Assim, você pode ter uma noção mais realista sobre o tratamento indicado no seu caso.

 

Como fazer cirurgia plástica pelo SUS?

Avaliação física e psicológica para a cirurgia plástica
Imagem: Reprodução / Pexels

Se você acredita que tem alguma necessidade que merece tratamento por meio de cirurgia plástica, pode solicitá-la ao SUS. Para isso, é preciso:

  • Primeiramente, se consultar em um Posto de Saúde e conversar com o médico para que ele avalie seu caso.
  • Se o seu diagnóstico for favorável à solicitação de cirurgia, então o segundo passo é ir até a Secretaria de Saúde da sua cidade. Lá, você vai se informar sobre os hospitais que realizam o procedimento. Nem sempre será na mesma cidade onde você mora, mas redirecionarão você à opção mais próxima.
  • Ademais, talvez você precise receber a visita de uma assistente social. Isso é necessário para comprovar que você realmente não tem condições de pagar a cirurgia.
  • Não raro, outra etapa, em muitos casos, é a avaliação psicológica. Um profissional vai avaliar se você está em condições emocionais de fazer o procedimento. Também vai também informar as ocorrências que podem surgir depois do procedimento.
  • Enfim, o último passo é: esperar. Mesmo que não sejam tão divulgados, benefícios como fazer cirurgia plástica pelo SUS costumam ter uma fila de espera bem grande. No entanto, tenha em mente que se você tiver paciência e condições de esperar, poderá desfrutar do seu direito de receber o tratamento gratuitamente. Assim, poderá reestabelecer a sua qualidade de vida e aproveitar o prazer de uma autoestima mais elevada.

Fontes: Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e Ministério da Saúde.

Informar Erro

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes