CoronaVac aprovada: Brasil autoriza uso emergencial da vacina

Por unanimidade, a Anvisa autorizou o uso emergencial da CoronaVac.

Com cinco votos favoráveis de todos diretores da Anvisa à autorização do uso emergencial da CoronaVac, a vacina é aprovada no Brasil contra covid-19. A decisão acabou de ser tomada e foi unanime.

Contudo, como foi uso emergencial ainda existem restrições para a aplicação, apenas um grupo selecionado irá tomar a vacina, por enquanto. Além da CoronaVac, a vacina de Oxford/AstraZeneca também foi aprovada.

Restrições CoronaVac

Apesar de Meiruze Sousa Freitas ter votado a favor da aprovação da vacina coronaVac, a relatora condicionou a autorização para o Instituto Butantan à assinatura de um termo de compromisso, para sanar alguns pontos dos estudos, especialmente em relação à capacidade de provocar imunidade.

CoronaVac aprovada: primeira pessoa a se vacinar

O governador de São Paulo, João Dória (PSDB) afirmou que a primeira pessoa será vacinada ainda hoje no Hospital das Clinicas em São Paulo. Dória deve se pronunciar logo após o fim da reunião da Anvisa.

Além disso, a identidade da primeira pessoa a vacinar foi divulgada, ela é Mônica Calazans, de 54 anos, mulher, negra e enfermeira do hospital Emílio Ribas, em São Paulo.

CoronaVac aprovada: Uso emergencial

Vacinas aprovadas para uso emergencial só podem ser usadas em um público alvo pré-definido e durante um prazo pré-determinado. Além disso, a responsabilidade, nesses casos, é totalmente do poder público.
O Estado proíbe que as vacinas de uso emergencial sejam ministradas por clínicas privadas, apenas o SUS pode fazer a aplicação.

coronaVac aprovada
Foto: Governo de São Paulo

Uso definitivo da vacina contra covid-19

Já com quando o uso definitivo é aprovado. O imunizante pode ser usado para a vacinação em massa e pode ser distribuído tanto na rede pública quanto na rede privada. Este cenário só ocorre depois da análise completa de estudos do medicamento.

Quem deve receber a vacina primeiro?

Segundo o plano de imunização de São Paulo, os primeiros grupos que vão receber a vacina, a partir do dia 25 de janeiro, são os trabalhadores de saúde, indígenas e quilombolas no estado. Em seguida pessoas acima de 75 anos (a partir de 8 de fevereiro); pessoas de 70 a 74 anos (a partir de 15 de fevereiro); pessoas de 65 e 69 anos (a partir de 22 de fevereiro) e de 60 a 64 anos (a partir de 1º de março). A segunda dose deve ser dada 21 dias depois da primeira. Outros grupos devem ser vacinados gradualmente ao longo dos outros meses.
A expectativa é que na primeira fase, cerca de 9 milhões de pessoas sejam vacinadas.

Você pode gostar também
buy cialis online