Intoxicação alimentar: quais são os sintomas e como se prevenir?

A alimentação é a chave para tratar muitas doenças, mas no caso da intoxicação alimentar, pode ser o principal inimigo do paciente. Entenda como se prevenir da doença que acomete milhares de brasileiros, e é considerada comum.

A intoxicação alimentar é uma doença comum para muitos brasileiros. Segundo informações do Hospital Israelita A. Einstein, são mais de 2 milhões de casos por ano somente no Brasil. Geralmente diagnosticada pela própria pessoa, ela é uma doença causada por alimentos contaminados com bactérias, vírus, parasitas ou toxinas.

O que causa intoxicação alimentar?

Imagem mostra pessoa de calça jeans sentada em uma cama, segurando as próprias pernas, como um sinal de dor provocado pela Intoxicação alimentar
(Foto: Alex Green/Pexels)

A principal causa da intoxicação alimentar, como diz o próprio nome, são os alimentos ou bebidas contaminados por fungos, bactérias, vírus ou até mesmo microrganismos. O quadro considerado mais comum da intoxicação alimentar é a infecção bacteriana de Salmonella. Essas bactérias, quando entram em contato com o paciente, acabam se multiplicando no intestino.

Frutas, verduras, carnes, laticínios e até mesmo água, podem ser contaminados facilmente. Por isso, é importante se atentar no momento de higienização desses alimentos, principalmente com as frutas e verduras. A indicação é sempre comprar carnes de estabelecimentos confiáveis e beber água tratada, ou seja, do filtro.

Os sintomas de intoxicação alimentar variam de acordo com a fonte de contaminação. A maioria dos tipos de intoxicação alimentar causa um ou mais dos seguintes sinais e sintomas:

  • cólicas abdominais
  • diarreia
  • vomitando
  • perda de apetite
  • febre
  • fraqueza
  • náusea
  • dores de cabeça

Os sinais e sintomas podem começar algumas horas após a ingestão do alimento contaminado ou podem começar dias ou até semanas depois. A doença causada por intoxicação alimentar geralmente dias.

- PUBLICIDADE -

Se você sentir algum dos seguintes sinais ou sintomas, procure atendimento médico.

 

Alimentos

Com base no maior risco de contaminação, veja abaixo a lista com os alimentos que exigem um cuidado ainda maior no preparo e consumo:

Leia também

Entenda o que é a síndrome de Haff e como tratar a doença

Nova variante do coronavírus no Brasil: veja os sintomas

  • Ovos crus e receitas em que são acrescentadas para preparação, como a maionese;
  • Frutas e verduras cruas, pois alguns microrganismos só são eliminados após uma higienização com solução contendo cloro;
  • Carne mal cozida, pois pode estar contaminada com microorganismos que muitas vezes exigem um cozimento lento e sob pressão.
  • Leite não pasteurizado (processo físico que elimina bactérias como a salmonella).
  • As ostras são moluscos que obtêm seus alimentos por meio de um processo que filtra os microorganismos presentes no ambiente aquático.

Qual a diferença entre infecção e intoxicação alimentar?

Nem sempre a intoxicação alimentar ocorre por causa da presença de um agente infeccioso, como um vírus ou uma bactéria. Alimentos mal conservados podem também causar sintomas e sinais da doença. Esta é a principal diferença entre a infecção alimentar, que sempre é provocada pela presente de um vírus ou microrganismo estranho.

Como se prevenir?

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), mundialmente, cerca de 600 milhões de pessoas adoecem por conta de intoxicação alimentar e 420 mil morrem por essa causa, anualmente. E, por se tratar de uma doença evitável e altamente dependente das medidas preventivas no que diz respeito às condições sanitárias, conhecer e aplicar tais medidas são as principais ferramentas que temos para contornar essa doença.

- PUBLICIDADE -

A recomendação é que se tenha atenção com os alimentos consumidos crus e mal lavados, já que estes podem gerar uma série de complicações para o seu organismo.

Lave sempre as mãos antes de cozinhar ou comer alimentos. Certifique-se de que seus alimentos estão devidamente lacrados e armazenados. Cozinhe bem a carne e os ovos. Tudo o que entra em contato com produtos crus deve ser higienizado antes de ser usado para preparar outros alimentos. Certifique-se de sempre lavar frutas e vegetais antes de servir.

CUIDADOS NO PREPARO DOS ALIMENTOS

  • Higienize as mãos com água e sabão por 40 a 60 segundos antes, durante e após o preparo dos alimentos;
  • Lave seus utensílios, tábuas de cortar e bancadas com água quente e sabão antes do uso;
  • Lave frutas e vegetais frescos em água corrente e deixe de molho por pelo menos 30 minutos em solução com cloro;
  • Evite a contaminação cruzada dos alimentos (exemplo: carnes cruas de alimentos prontos): a preparação deve ser feita em tábuas e utensílios distintos daqueles utilizados em alimentos prontos. Da mesma forma, o armazenamento em refrigerador deve ser muito bem separado para evitar a contaminação;
  • Armazenar os alimentos em geladeira em temperatura inferior à 4º C;
  • Cozinhar em temperatura e tempo apropriados para certificar a eliminação de possíveis contaminantes.

 

Em caso de suspeita de intoxicação alimentar, procure atendimento médico.

Fontes: Hospital Israelita A. Einstein, Organização Mundial da Saúde (OMS), Blog Drogaria Liviero , Drauzio Varella (UOL)

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes