Vacina contra Covid-19: pode começar em SP dia 15 de dezembro, diz Doria

Se a dose for aprovada em todos os testes, profissionais de saúde de instituições públicas e privadas serão vacinados a partir de 15 de dezembro.

Vacina contra Covid-19 – O governador do estado de São Paulo, João Doria (PSDB) anunciou nessa quarta-feira (30) a compra de 46 milhões de doses da vacina coronavac. Além disso, se a dose for aprovada em todos os testes, profissionais de saúde de instituições públicas e privadas serão vacinados a partir de 15 de dezembro.

Quando teremos uma vacina contra a Covid-19?

A Vacina contra Covid-1, a CoronaVac está na fase 3 de testes em humanos, que vai avaliar agora a a eficácia, ou seja, se ela produz anticorpos em quantidade suficiente contra o vírus. Assim, se o cronograma de testes se mantiver e a vacina se mostrar eficaz, e houver a aprovação da Anvisa, a expectativa é de que a coronavac esteja liberada para vacinação a partir de dezembro.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

De acordo com o governo do estado, tanto na China como no Brasil, os testes clínicos passaram a envolver voluntários com mais de 60 anos, que são o grupo mais suscetível aos sintomas graves da COVID-19. De acordo com o Butantan, que coordena a pesquisa no Brasil, a expectativa é que os testes de eficácia da Coronavac sejam encerrados até o dia 15 de outubro.

Testes da Coronavac

Estudo feito na China com 50.027 voluntários chineses, entre eles, funcionários da própria Sinovac, demonstrou que 5,36% das pessoas vacinadas apresentaram efeitos colaterais, todos sem gravidade: dor no local da aplicação (caso constatado em 3,08% dos voluntários), fadiga (1,53%) e febre leve (0,21%). Efeitos um pouco mais graves foram observados em 0,03% dos voluntários, tais como perda de apetite, dor de cabeça, fadiga e febre.

A vacina contra Covid-19, a CoronaVac,  está sendo testada no Brasil desde julho, na fase 3, que estuda a eficácia do imunizante. A vacina está sendo aplicada em duas doses. Ao todo, os testes com a CoronaVac são realizados em 9 mil voluntários em centros de pesquisas de seis estados brasileiros: São Paulo, Brasília, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Paraná.

Se a Coronavac tiver sucesso na última etapa dos testes, o Butantan pedirá a aprovação emergencial do imunizante à Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária. O objetivo do Governo de São Paulo é iniciar uma campanha de vacinação contra o coronavírus na segunda quinzena de dezembro.

Informar Erro

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes