Vacina contra Covid-19: pode começar em SP dia 15 de dezembro, diz Doria

Se a dose for aprovada em todos os testes, profissionais de saúde de instituições públicas e privadas serão vacinados a partir de 15 de dezembro.

Vacina contra Covid-19 – O governador do estado de São Paulo, João Doria (PSDB) anunciou nessa quarta-feira (30) a compra de 46 milhões de doses da vacina coronavac. Além disso, se a dose for aprovada em todos os testes, profissionais de saúde de instituições públicas e privadas serão vacinados a partir de 15 de dezembro.

Quando teremos uma vacina contra a Covid-19?

A Vacina contra Covid-1, a CoronaVac está na fase 3 de testes em humanos, que vai avaliar agora a a eficácia, ou seja, se ela produz anticorpos em quantidade suficiente contra o vírus. Assim, se o cronograma de testes se mantiver e a vacina se mostrar eficaz, e houver a aprovação da Anvisa, a expectativa é de que a coronavac esteja liberada para vacinação a partir de dezembro.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

De acordo com o governo do estado, tanto na China como no Brasil, os testes clínicos passaram a envolver voluntários com mais de 60 anos, que são o grupo mais suscetível aos sintomas graves da COVID-19. De acordo com o Butantan, que coordena a pesquisa no Brasil, a expectativa é que os testes de eficácia da Coronavac sejam encerrados até o dia 15 de outubro.

Testes da Coronavac

Estudo feito na China com 50.027 voluntários chineses, entre eles, funcionários da própria Sinovac, demonstrou que 5,36% das pessoas vacinadas apresentaram efeitos colaterais, todos sem gravidade: dor no local da aplicação (caso constatado em 3,08% dos voluntários), fadiga (1,53%) e febre leve (0,21%). Efeitos um pouco mais graves foram observados em 0,03% dos voluntários, tais como perda de apetite, dor de cabeça, fadiga e febre.

A vacina contra Covid-19, a CoronaVac,  está sendo testada no Brasil desde julho, na fase 3, que estuda a eficácia do imunizante. A vacina está sendo aplicada em duas doses. Ao todo, os testes com a CoronaVac são realizados em 9 mil voluntários em centros de pesquisas de seis estados brasileiros: São Paulo, Brasília, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Paraná.

Se a Coronavac tiver sucesso na última etapa dos testes, o Butantan pedirá a aprovação emergencial do imunizante à Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária. O objetivo do Governo de São Paulo é iniciar uma campanha de vacinação contra o coronavírus na segunda quinzena de dezembro.

Informar Erro

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes