Vacina contra covid: 2 milhões de doses da Coronavac chegam ao Brasil

Na manhã de sexta-feira (18), o governador João Dória (PSDB) foi ao aeroporto receber as vacinas que chegaram prontas para uso em São Paulo.

Na manhã desta sexta-feira (18) 2 milhões de doses da vacina Coronavac chegaram em São Paulo. O imunizante que chegou ao Brasil hoje já está pronto para ser aplicado. É a terceira remessa que aterrissa em solo nacional, a segunda com a vacina pronta. Também já foram recebidos 600 litros de matéria-prima, carga de insumos para produzir até 1 milhão de doses do imunizante. A coronavac está na fase 3 de testes e ainda precisa ter seu uso aprovado pela Anvisa. Contudo, o governo de São Paulo se mantem confiante e otimista.

Coronavac

A vacina produzida pelo laboratório chinês Sinovac chegou ao Brasil nesta manhã, no aeroporto internacional de Guarulhos. O governador do estado de São Paulo João Dória (PSDB) estava no local aguardando a chegada. Junto com ele, estava o diretor do Instituto Butantan Dimas Covas e o secretário estadual da Saúde, Jean Gorinchteyn.

“Agora com a chegada desses 2 milhões, temos 3 milhões e 120 mil doses já em solo brasileiro sendo processada pelo Instituto Butantan”, disse Doria. Dimas Covas também se pronunciou e afirmou que é a primeira vacina produzida pelo Brasil, pelo Butantan em parceria com a Sinovac.

“Até 15 de janeiro teremos 9 milhões de doses prontas para uso. Então é a primeira vacina em solo nacional, a primeira vacina que está sendo produzida no Brasil e na América latina. E essa é a nossa função: trazer as vacinas para que elas possam ser usadas o mais rapidamente possível”, afirmou Dimas Covas.

É obrigatório tomar a vacina? Saiba mais sobre a evolução das vacinas no brasil
(foto: tânia rêgo/agência brasil)

Uso emergencial

O governo de São Paulo quer que a Anvisa aprove o uso emergencial da coronavac, ou seja, libere a imunização antes do fim de todos os testes. Na segunda-feira (14) Dória havia dito que iria solicitar o registro oficial e não uso emergencial da vacina. Contudo, a estratégia mudou e São Paulo vai solicitar o uso emergencial. O diretor do Butantan acredita que essa possa ser a solução para conseguir a vacinação geral o mais rápido.

“Se fizermos isso na semana que vem [solicitação], isso significa que na primeira semana de janeiro poderemos ter uma manifestação da Anvisa. Ou seja, a partir de janeiro, é possível que tenhamos autorização para uso da vacina. A partir do dia 15, portanto, teremos, nesse cronograma 9 milhões de doses para serem usadas nos brasileiros.” Disse Dimas Covas

O governo de São Paulo acredita que dia 25 de janeiro já será possível dar inicio à imunização da população.

Você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.