Veja como ficou a vacinação de adolescentes contra a covid em SP

A vacinação de adolescentes sem comorbidades, em SP, segue normalmente. O governo do estado anunciou a decisão e recomenda que todos os municípios continuem essa parte do processo vacinal de pessoas de 12 a 17 anos.

A orientação do estado de São Paulo veio, mesmo com a recomendação contrária do Ministério da Saúde, que pediu a suspensão desse grupo.

Essa suspensão fez com que as cidades de Salvador e Natal pausassem a vacinação. No entanto, São Bernardo do Campo, São Paulo e Santos já anunciaram que seguem normalmente.

Governo de SP autoriza vacinação de adolescentes

O governo estadual de São Paulo acredita que a recomendação do Ministério da Saúde está equivocada. Dessa forma, cita que outros países como EUA, Chile, Israel, Canadá, França e Itália já vacinam. “A medida cria insegurança e causa apreensão em milhões de adolescentes e famílias que esperam ver os seus filhos imunizados, além de professores que convivem com eles.”

“Infelizmente, e mais uma vez, as diretrizes do Programa Nacional de Imunização do Ministério da Saúde chegaram com atraso e descompassadas com a realidade dos estados, que em sua maioria já estão com a vacinação em curso.”

Assim, a campanha deve continuar. Isso considera a importância da vacinação, já que o coronavírus pode fazer vítimas jovens ou ser transmitido por eles. “Este grupo responde ainda por 6,5% dos casos e, assim como os adultos, está em fase de retomada do cotidiano, com retorno às aulas e atividades socioculturais”.

Atualmente, cerca de 2,4 milhões de pessoas, o equivalente a 72% do público total, receberam a primeira dose.

O que diz o Ministério da Saúde

O Ministério da Saúde, por meio da Secretária Extraordinária de Enfrentamento à Covid-19, recomendou a suspensão da vacinação de adolescentes sem comorbidades em todo o Brasil.

Vale lembrar que a Pfizer é a única patente de vacina que recebeu o aval da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para adolescentes, de 12 a 17 anos.

A titular da secretaria, Rosana Leite de Melo, explica ao DCI que estados não deveriam nem ter começado essa etapa.

Uma das alegações é que a Organização Mundial da Saúde (OMS) não recomenda a imunização de adolescentes. No entanto, a entidade diz somente que a prioridade não deve ser a desse grupo. A OMS diz que as vacinas podem ser aplicadas, se houver disponibilidade.

Além disso, a pasta afirma que investiga reações colaterais de uma pessoa menor de 18 anos. Esse adolescente foi vacinado no Brasil, mas a correlação ainda não foi confirmada. “Como estamos em um cenário epidemiológico um pouco mais confortável, achamos prudente suspender os adolescentes sem comorbidade”, defende Melo.

Por fim, ela garante que as autoridades têm analisado e que novas recomendações, baseadas em novas evidências, devem ser feitas. “Anvisa e SVS foram acionadas, só que a gente tem que tomar uma ação rápida. Não quer dizer que a gente não vai discutir”.

Mesmo com essa recomendação, o estado de São Paulo e vários municípios já confirmaram que vão continuar vacinando adolescentes. Além disso, outros estados como Mato Grosso do Sul também confirmaram que continuam.

Vacinação de adolescentes na capital de SP

A cidade de São Paulo segue com a vacinação de adolescentes normalmente. A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) informou que já vacinou mais de 84,4% desse grupo com a Pfizer, e por isso, não fará mudanças.

Assim, restando apenas aproximadamente 15% para atingir a totalidade da cobertura vacinal, a pasta não interromperá a imunização para adolescentes sem comorbidade na capital.

Segundo a SMS, a suspensão feita pelo governo federal é apenas por “questão logística”. “Trata-se de um imunizante eficaz e seguro previamente autorizado. As doses destinadas à imunização desse grupo estão reservadas pelo município e seu uso não compromete a vacinação dos demais públicos elegíveis”.

- PUBLICIDADE -

Calendário de vacinação em São Paulo

Posteriormente, a aplicação da segunda dose (D2) nos adolescentes também seguirá normalmente. Assim, podem se vacinar na capital adolescentes de 12 a 14 anos.

Na capital paulista, entre 13 a 19 de setembro, podem se vacinar com o reforço (terceira dose) idosos de 85 a 89 anos.

O fluxo de pessoas nos pontos de imunização pode ser visto no site De Olho na Fila. Além disso, a plataforma indica quais imunizantes estão disponíveis para a segunda dose em cada unidade. Além disso, a página oficial Vacina Sampa disponibiliza a lista completa de postos de vacinação.

Vacina
Comentários (0)
Comentar