Zinco é essencial para a imunidade. Descubra todos os benefícios.

O zinco é essencial para inúmeros processos do corpo humano, embora não tenha eficiência comprovada na prevenção do Novo Coronavírus.

O zinco possui papel vital para a manutenção de um sistema imunológico saudável. Ele ainda auxilia na função metabólica, é importante para a cicatrização de feridas e também para os sentidos de olfato e paladar.

 

O que é o zinco?

 

Primeiramente, o zinco é um oligoelemento necessário para um sistema imunológico saudável. Por esse motivo, a deficiência desse mineral pode deixar uma pessoa mais suscetível a doenças e enfermidades.

Ele é considerado um nutriente essencial, o que significa que seu corpo não pode produzi-lo ou armazená-lo. Por esse motivo, é necessário obter um suprimento constante através de uma dieta saudável e balanceada.

O zinco é necessário para vários processos no corpo humano, incluindo:

  • Expressão genética
  • Função imune
  • Reações enzimáticas
  • Síntese protéica e síntese de DNA
  • Cicatrização de feridas
  • Crescimento e desenvolvimento

 

Benefícios do zinco para a saúde

benefícios do zinco
Reprodução

Regula e aumenta a imunidade

 

Segundo o European Journal of Immunology, o corpo humano precisa de zinco para ativar os linfócitos T (células T). Essas células T ajudam o corpo de duas maneiras:

  • controlando e regulando as respostas imunes;
  • atacando células infectadas ou cancerígenas

Por isso, ele é considerado o micronutriente que possui maior efeito sobre o sistema imunológico, sendo indispensável para a manutenção da saúde.

 

Auxilia na aprendizagem e memória

 

Além disso,  uma pesquisa conduzida pela Universidade de Toronto e publicada na revista Neuron sugeriu que o zinco tem um papel crucial na regulação de como os neurônios se comunicam. Isso afeta a maneira como as memórias são formadas e também a forma como aprendemos.

 

Eficaz no tratamento de resfriados

 

Algumas evidências ainda sugerem que a suplementação do mineral pode auxiliar no tratamento da gripe comum. Em artigo publicado no Open Respiratory Medicine Journal, conclui-se que as pastilhas de zinco reduziam a duração dos episódios de resfriado comum em até 40%.

Corroborando com a tese, uma revisão da Cochrane concluiu que tomar o mineral (em pastilhas ou xarope) é benéfico na redução da duração e gravidade do resfriado comum em pessoas saudáveis, desde que seja ingerido nas 24 horas seguintes ao início dos sintomas.

 

Atua na cicatrização de feridas

 

Além de todos os benefícios destacados anteriormente, ainda é importante destacar a o papel que o zinco ocupa na na manutenção da integridade e estrutura da pele.

Pacientes com feridas ou úlceras crônicas, por exemplo, tendem a apresentar metabolismo deficiente de zinco e níveis séricos mais baixos que o recomendado. É por isso que o mineral é frequentemente usado em cremes para a pele para o tratamento de assaduras ou outras irritações da pele.

Em um estudo sueco, a conclusão é de que o uso tópico de zinco pode, de fato, estimular cicatrização de úlceras nas pernas, bem como reduzir a inflamação e inibir o crescimento de bactérias. Quando o mineral é aplicado sobre as feridas, ele não apenas corrige um déficit local, mas também age de modo farmacológico.

 

Suplementação de zinco não previne Covid-19

zinco e covid
Reprodução

 

Recentemente, a suplementação de zinco e vitamina C ganhou destaque na internet graças a um áudio onde sugeria-se que a mesma seria eficaz na prevenção do Novo Coronavírus. Embora esse mineral tenha, de fato, um papel importante para a imunidade, é interessante notar que essa sugestão não possui nenhuma base científica.

Em seu site de combate às fake news, o Ministério da Saúde reiterou que a informação é falsa. Dito isso, até o momento não há nenhum medicamento ou vacina disponível que possa previnir a infecção pelo Covid-19.

Quem também se pronunciou foi a Associação Brasileira de Nutrologia. Em comunicado à imprensa, a Abran reiterou que “apesar da difícil interpretação do nível baixo de zinco em pacientes sob inflamação, recente revisão recomenda que, para suporte da função imune ideal, a ingestão de zinco segue a mesma da RDA e deve ser de 8 (mulheres) e de 11 (homens) mg/dia.”

Uma vez que o corpo humano não consegue produzir esse mineral, a quantidade recomendada deve ser obtida via alimentação. A deficiência em crianças pode levar a limitações no crescimento e aumento do risco de infecções. Durante a gravidez e lactação, as mulheres podem precisar suplementar uma quantidade extra.

 

Alimentos ricos em zinco

alimentos ricos em zinco

 

Agora que você já sabe todos os benefícios do zinco para a saúde, vale lembrar que esse mineral está amplamente disponível nos alimentos.

Ainda que a suplementação não seja eficiente na prevenção do Novo Coronavírus, é de extrema importância atingir a Ingestão Diária Recomendada, uma vez que esse nutriente é responsável pela manutenção de inúmeros processos no corpo humano.

Essas são as melhores fontes naturais de zinco:

  • Chocolate amargo
  • Sementes de linhaça
  • Ostras, leite integral
  • Camarão
  • Gema de ovo
  • Amendoim
  • Sementes de melancia
  • Castanha de caju
  • Feijão.

 

- continue lendo -

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes