Manual Fuvest 2021: veja o que muda e como estudar para a prova

Foi divulgado nesta segunda-feira, (24), o Manual do Candidato da Fuvest (Fundação Universitária para o Vestibular) 2021. É importante que os estudantes que irão prestar a prova, sobretudo, fiquem atentos ao que está descrito antes de fazer a prova. Assim, o manual mostra quais os conteúdos pedidos nas provas da primeira e segunda fases e orientações fundamentais para os dias dos exames.

Inscrições da Fuvest

Aliás, as inscrições começam no dia 31 de agosto e vão até 12h do dia 23 de outubro, com a taxa de R$ 182.

A Fundação Universitária para o Vestibular é, então, a instituição que aplica as provas de vestibular tradicional para o processo seletivo da Universidade de São Paulo. Por isso, é conhecida por ser uma prova exigente e que necessita de um bom preparo durante o ano. Entretanto, suas provas necessitam de algumas especificações. Ademais, seu processo é dividido em duas fases, que são levadas em conta na pontuação final.

- PUBLICIDADE -

Em resumo, para 2021 serão oferecidas 11.147 vagas, das quais 8.242 são destinadas para a seleção da Fuvest, com as vagas para Sisu/Enem mantidas.

Principais datas do vestibular:

  • 24 de agosto de 2020 – Divulgação do Manual do Candidato;
  • 31 de agosto de 2020 – às 12h – Abertura das inscrições para o vestibular;
  • 23 de outubro de 2020 – às 12h – Encerramento do período de inscrições para o vestibular;
  • 10 de janeiro de 2021 – Prova da 1ª Fase;
  • 21 e 22 de fevereiro de 2021 – Provas de 2ª Fase;
  • 15 de março de 2021 – Divulgação da 1ª chamada.

Manual do Candidato: o que vai cair na Fuvest?

O Manual do Candidato estabelece, desse modo, os principais conhecimentos e conteúdos que você precisa ter para a prova. Confira a lista:

  • Biologia Celulas;
  • Hereditariedade e processo de evolução orgânica;
  • Vírus, bactérias, protistas e fungos; plantas; animais; a espécie humana;
  • Populações, comunidades e ecossistemas; ecologia humana.
  • Mecânica;
  • Termodinâmica;
  • Ondas, som e luz;
  • Eletromagnetismo;

  • História do Brasil;
  • Antiga;
  • História da América;
  • Medieval;
  • Moderna;
  • Contemporânea.

  • Transformações químicas;
  • Propriedades e utilização dos materiais;
  • A água na natureza;
  • Dinâmica das transformações da água;
  • Energia nas transformações químicas;
  • Transformações nucleares naturais e artificiais;
  • Compostos orgânicos.

  • Conceitos e relações numéricas básicas e aplicações.
  • Geometria.
  • Funções.
  • Combinatória, probabilidade e estatística.

  • Desigualdades socioespaciais das atividades econômicas, população, trabalho e tempo livre, centros de poder e conflitos atuais;
  • O espaço geográfico brasileiro;
  • O planeta Terra: os climas e os ecossistemas terrestres, o relevo e a água na superfície terrestre;
  • A questão ambiental;
  • Representações do espaço geográfico.

Língua Portuguesa

  • Níveis de significação do texto;
  • Distinção entre variedades do português;
  • Norma ortográfica;
  • Morfossintaxe das classes de palavras;
  • Processos de organização da frase;
  • Citação de discursos: direto, indireto e indireto livre;
    Organização do texto;
  • Estratégias de articulação do texto;
  • Recursos expressivos;
  • Intertextualidade.

Literatura Brasileira

  • Barroco;
  • Arcadismo;
  • Romantismo;
  • Realismo – Naturalismo;
  • Parnasianismo – Simbolismo;
  • Pré-modernismo e modernismo;
  • Tendências contemporâneas.

Literatura Portuguesa

  • Trovadorismo;
  • Humanismo;
  • Classicismo;
  • Barroco;
  • Arcadismo;
  • Romantismo;
  • Realismo;
  • Simbolismo;
  • Orpheu;
  • Modernismo;
  • Literaturas Africanas em Língua Portuguesa.

 

Como estudar para a prova?

De fato, a Fuvest se trata de uma prova com suas especificações. Por isso, é necessário estar atento a detalhes como o planejamento dos estudos, exercícios e toda a preparação necessária. Confira 8 dicas para mandar bem nos estudos:

Foto por Freepik

1. Monte um cronograma de estudos

Não importa se falta um ano ou um mês. Primeiramente, um passo muito importante é estabelecer um cronograma de estudos. Assim, você pode focar nas matérias mais cobradas sem ficar desnecessariamente perdido. Além disso, é importante traçar metas, organizar seus horários, criar uma rotina e disciplina.

Da mesma forma, também é necessário não cair em exageros. Ou seja, é importante que você escolha a qualidade ao invés da quantidade de estudos porque isso pode comprometer todo o seu aprendizado e forma de absorção.

Lembre-se, assim, de incluir no seu cronograma as revisões de conteúdo. Revisitar as matérias estudadas com frequência pode te ajudar a fixar mais tudo que você já aprendeu. Além disso, priorize o estudo da disciplina que você tem mais dificuldade. Por fim, quando a prova estiver chegando, continue seguindo o cronograma sem alterações para não causar desgastes físicos e mentais. 

 

2. Leia o manual do candidato

Na dúvida do que priorizar no seu cronograma, dê uma conferida no manual do candidato. Sobretudo, ele contém informações muito importantes para quem vai prestar a prova. Ele não apenas trata dos conteúdos, como também dá orientações desde a inscrição para a prova até a realização da matrícula.

 

3. Leia os livros da lista obrigatória

Os livros exigidos na lista obrigatória da Fuvest são importantes para a resolução de questões. Por isso, o ideal é que faça a leitura assim que a lista é divulgada. Uma boa dica é primeiramente ler as obras obrigatórias, no primeiro semestre de estudo, fazendo resumos e anotações para serem revisitados próximo a prova. Todavia, muito além de uma leitura passiva, é preciso realizar uma análise da obra lida. Dar foco para além do enredo, buscando assimilar principalmente os fatos marcantes, problemas sosciais e o contexto histórico.

Fazer a leitura obrigatória pode ser de muita utilidade, já que é uma boa chance de trabalhar a sua interpretação de texto. Isso te ajuda tanto na resolução de questões da prova quanto no desenvolvimento da redação. Por isso, na hora de ler não dispense um lápis, grifa texto e um caderno para as anotações do que você acha relevante.

4. Estude redação

Sem dúvida a redação possui um peso muito grande na prova. Ela compreende, assim, 50% da nota da primeira prova da segunda fase. Portanto, separe um tempo de prática para a escrita, buscando ir além do repertório. Por isso é preciso saber articular a sua tese, com coesão e coerência, e se dedicar ao português. No entanto, lembre-se que a redação da Fuvest e do Enem tem focos diferentes, sendo a da primeira mais voltado para filosofia.

Foto por mindandi em Freepik.

5. Estude as provas anteriores da Fuvest

Refazer as provas anteriores auxiliará a entender o seu formato e ritmo, com a finalidade de entender a resolução de questões e assuntos recorrentes. Então, lembre de fazer e refazer as questões que você costuma errar mais. Decerto, resolver exercícios é uma das maneiras mais eficientes de saber se você compreendeu o conteúdo estudado. Por isso, faça exercíocios até acertar vinte questões seguidas de cada matéria. Igualmente a internet oferece diversas formas de encontrar edições de provas anteriores. Estude no mínimo as três últimas provas, por exemplo.

 

6. Não se desligue do mundo

Assim, não pense que nesse momento basta ter toda a matéria de cor na cabeça. Estar atento ao que acontece no seu país e no mundo é, assim, muito relevante. Criar um grande repertório, isto é, que inclua também referências culturais, pode ser uma mão na roda. Você pode aproveitar a redação e usar citações de filmes, livros e músicas, por exemplo. Além disso, estabelecer paralelos e comparações. Assuntos relacionados à geopolítica se encontram, então, muito presentes na prova.

 

7. Utilize mapas mentais

Com efeito, o mapa mental é uma das técnicas de estudo existentes, que relaciona tanto a linguagem verbal e não verbal. Isto é, ele serve principalmente para organizar as informações de uma maneira visual – com cores, símbolos, tópicos e frases – para facilitar a associação das informações. Por isso, conservar essa prática pode te ajudar principalmente na revisão de conteúdo. Utilizar diferentes artifícios durante a elaboração, como color coding, com a finalidade de dar um significado para cada cor usada.

 

8. Opte por uma plataforma de estudos online

Por fim, as plataformas de estudos online são uma ótima forma de guiar os seus estudos. Assim, são diversas as opções disponíveis, basta avaliar as opções de acordo com o que você procura e com aquilo que cabe no seu bolso. Eles geralmente oferecem diferentes suportes, assim como cronogramas, conteúdos, espaço de prática e revisão de redações, simulados online e cursos.

Comentários (0)
Comentar