Fintech de pagamentos Hash recebe aporte de US$ 15 milhões

A fintech Hash, focada em infraestrutura de pagamentos digitais para empresas, anunciou, nesta terça-feira, 20,  o recebimento de um investimento de US$ 15 milhões. O aporte foi liderado pela empresa de venture capital QED Investors e com participação das gestoras Kaszek e Canary. Com o novo aporte, a startup quer ganhar escala no Brasil.

Atualmente, a Hash, fundada em 2017 em São Paulo, conta com uma plataforma de pagamentos digitais personalizada para cada empresa atendida. Fornece produtos como carteiras digitais para clientes, gestão e antecipação de recebíveis e maquininha de pagamentos.

“Empresas B2B conhecem de perto a vida e a realidade dos clientes finais e sabem que pequenas empresas e empreendedores não têm acesso a boas condições financeiras, não é fácil para eles conseguir uma maquininha com uma taxa agressiva, por exemplo”, disse João Miranda, fundador e presidente executivo da Hash, em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo.  “Essas empresas começaram a ver que a receita de players de pagamentos era grande e que o controle do dinheiro poderia ser integrado às vendas que já acontecem”. 

Caminhos da Hash

- PUBLICIDADE -

Em 2020, a empresa afirma ter processado R$ 300 milhões em volume total de pagamentos. Dentre outras, atualmente a Hash atende a Leo Madeiras, um marketplace para marcenarias; a Loja do Mecânico, um e-commerce de peças e equipamentos para mecânicos; e a Zax, um marketplace de roupas que conecta pequenos e médios lojistas com fornecedores do Brás, em São Paulo. Agora, cinco novos clientes já estão a caminho.

Em 2021, a meta da startup é processar R$ 1,5 bilhão em pagamentos e, já no embalo do novo aporte recebido, quer possibilitar a emissão de cartões. Para isso a empresa quer dobrar o número de funcionários até o final do ano, com foco em tecnologia.

Além disso, a startup informou ainda que pode receber um novo investimento ainda em 2021. Se confirmado, será a quarta rodada de recursos, após aportes de US$ 3,5 milhões com o Kaszek e US$ 200 mil com o Canary.

investimentoStartup
Comentários (0)
Comentar