Famosos se manifestam sobre mortes em Manaus

Manaus vive uma explosão de casos da Covid-19 e a falta de oxigênio nos hospitais

Manaus vive uma explosão de casos da Covid-19 e a falta de cilindros oxigênio nos hospitais resultou em um colapso de mortes na capital do Amazonas. Depois da repercussão,  famosos falaram sobre a tragédia. Nas redes sociais a hashtag “oxigênio para Manaus” passou a ser uma forma de protesto em favor da capital nesta quinta-feira (14).

Covid-19: Hospitais em Manaus ficam sem oxigênio

A falta de estrutura para os pacientes com Covid-19 se alastrou e o número de mortes no estado cresceu em 183% na última semana, segundo site G1. 

O envio de oxigênio não foi capaz de suprir a demanda de pessoas internadas. Para tentar combater o número de pessoas infectadas que só cresce, o governo optou por um toque de recolher, em que as pessoas não podem circular entre 19 e 6 horas, no entanto, essa medida foi cancelada mais tarde. A reportagem ainda mostrou médicos ajudando no transporte de pacientes para outros estados em seus próprios carros. Além disso, os cemitérios ficaram lotados com mais de 180 enterros nesta quarta, dos quais 87 tiveram a causa declarada por Covid-19.

Whindersson Nunes providencia doação de cilindros

Sabendo da necessidade de Manaus, o humorista Whindersson Nunes decidiu não apenas reclamar, mas ajudar com a situação caotica que o estado enfrenta. “Providenciando 20 cilindros de 50L de oxigênio pra distribuir nas unidades mais urgentes em Manaus! Alô meus amigos artistas! Na hora de fazer show é tão bom quando o público nós recebe com carinho né, vamos retribuir????”, perguntou ele.

Tatá Werneck se indigna com caso em Manaus

Vários famosos se manifestaram e se solidarizaram com as mortes em Manaus por falta de oxigênio. Declaradamente contra o governo Bolsonaro, Tatá Werneck escreveu no Twitter: “Pelo amor de Deus…estão vendo a situação de Manaus? Eles precisam de oxigênio! Acabou o oxigênio dos hospitais!”.

Bruno Gagliasso se revolta e chama Bolsonaro de ‘besta’

O ator usou o Twitter para se manifestar e mostrar sua indignação com o caso em Manaus. Bruno Gagliasso não poupou palavras ao se referir ao presidente Jair Bolsonaro. “A besta falou alguma coisa sobre como ajudar o Amazonas?”.

Ele ainda chamou o governo de “criminoso” pelos casos de morte no estado do Amazonas. “Cretinos, assassinos. Esse projeto de poder é CRIMINOSO”, disse e completou:  “Que ódio meu Deus. Que sentimento ruim essa gente desperta em mim… vou ficar off. Se tiver algo que eu possa ajudar me marquem, ta?”.

Na rede social, o artista postou várias críticas ao governo. Além de compartilhar sua revolta com a revogação de Wilson Lima, governador do Amazonas, que voltou atrás na decisão do decreto de Lockdown.

Marcelo Adnet critica cancelamento de lockdown

Marcelo Adnet mostrou sua revolta no Twitter. O humorista escreveu: “A pressão de diversas autoridades de última hora convocadas para destruir o que restou de nosso chão funcionou! Manaus cancelou seu lockdown e agora está em colapso! Que nossa memória dure ao menos 2 semanas para perceber o óbvio: negacionismo mata!.”

Bolsonaro diz que faltou ‘tratamento precoce’ em Manaus

Jair Bolsonaro responsabilizou o governo e a prefeitura de Manaus pela falta de cilindros de oxigênio. Segundo ele, na segunda-feira (11), o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, foi interferir.

“Mandamos ontem o nosso ministro da Saúde para lá. Estava um caos. Não faziam tratamento precoce. Aumentou assustadoramente o número de mortes. E mortes por asfixia, porque não tinha oxigênio. O governo estadual e municipal deixou acabar o oxigênio. É morrendo asfixiado. Imagina você morrendo afogado. Fomos para lá e ele interferiu. Estão falando já que “interferiu…”. Então vai deixar o pessoal morrer?”, afirmou ele, em conversa com apoiadores, no Palácio da Alvorada.

Você pode gostar também
buy cialis online