Eleições dos EUA: por lealdade a Trump, Brasil só vai se manifestar após resultado oficial

Ordem no Itamaraty é que as manifestações sobre as eleições dos EUA aconteçam após Donald Trump reconhecer a derrota – mesmo que isso ocorra somente o candidato republicano contestar na justiça o resultado final.

Mesmo se Joe Biden vencer os 270 votos do Colégio Eleitoral – o que pode acontecer ainda hoje (5), o Brasil vai aguardar o posicionamento final de Donald Trump para se manifestar publicamente sobre as eleições dos EUA.  Isso vale também para caso o candidato republicano conteste o resultado final na justiça –  a ordem do Itamaraty é garantir o apoio a Trump até ele reconhecer a derrota.

Lealdade a Trump

A justificativa do governo brasileiro, além da lealdade ao presidente Trump, é que o resultado final das eleições dos EUA não foi concluído, já que há a possibilidade do republicano contestar o resultado final junto à Suprema Corte – para o Itamaraty, se isso acontecer, não tem como antecipar a aceitação da vitória de Biden.

De acordo com a regras diplomáticas, isso de fato, está correto. Contudo, não é segredo a preferência de Bolsonaro por Donald Trump – então, a postura de não-ingerência (ato de não interferir em decisões estrangeiras) vem perfeitamente a calhar nesse caso.

Algumas opiniões de dentro do governo afirmam que Trump pressionou o Brasil a manter a aliança até o fim – mesmo durante uma possível contestação na justiça. Outra teoria que ronda o Itamaraty é que caso Donald Trump vença nas urnas ou nos tribunais as eleições dos EUA, há a chance de ele reconhecer quem esteve ao seu lado o tempo todo, mesmo diante de uma ameaça de vitória pelo lado democrata.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes