Empreendedorismo: Micro e pequenas empresas têm faturamento estável

são Paulo – As micro e pequenas empresas paulistas registraram em setembro estabilidade do faturamento real ante o mesmo mês de 2010. O dado faz parte da pesquisa Indicadores Sebrae-SP, realizada em colaboração com a Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Seade). A receita dos micro e pequenos negócios registrou alta em setembro de 0,1%, ao totalizar um montante de R$ 26,9 bilhões.Na variação mês a mês, o faturamento médio registrou queda de 6,5% ante agosto deste ano. O recuo, na avaliação dos economistas do Sebrae-SP, era esperado, uma vez que o mês de setembro apresentou dois dias úteis a menos que agosto. As micro e pequenas respondem por 20% do Produto Interno Bruto (PIB). O levantamento aponta ainda que, na comparação com setembro de 2010, o segmento industrial apresentou redução na receita de 2,5%, a quarta queda mensal consecutiva. A entidade atribui o recuo no faturamento à concorrência, em alguns segmentos, dos produtos importados. A pesquisa registra alta de 1,9%, ante setembro de 2010, no faturamento do comércio, resultado do bom desempenho do mercado interno .No segmento de serviços, houve retração de 0,6%. A entidade atribui o recuo ao bom resultado apresentado pelo segmento em setembro de 2010. “A base de comparação forte influenciou a queda”, explica o consultor do Sebrae-SP, Pedro João Gonçalves.O diretor superintendente do Sebrae-SP, Bruno Caetano, avalia que, segundo as previsões de analistas, a economia brasileira tende a apresentar menor ritmo de crescimento nos próximos meses. “Enquanto o consumo interno estiver elevado, a partir da manutenção do poder de compra da população, o setor de serviços deve ficar aquecido”, ressalta

são Paulo – As micro e pequenas empresas paulistas registraram em setembro estabilidade do faturamento real ante o mesmo mês de 2010. O dado faz parte da pesquisa Indicadores Sebrae-SP, realizada em colaboração com a Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Seade). A receita dos micro e pequenos negócios registrou alta em setembro de 0,1%, ao totalizar um montante de R$ 26,9 bilhões, um bom valor para o empreendedorismo.

Na variação mês a mês, o faturamento médio registrou queda de 6,5% ante agosto deste ano. O recuo, na avaliação dos economistas do Sebrae-SP, era esperado, uma vez que o mês de setembro apresentou dois dias úteis a menos que agosto. As micro e pequenas respondem por 20% do Produto Interno Bruto (PIB), revelando a força que o empreendedorismo pode ter na economia. O levantamento aponta ainda que, na comparação com setembro de 2010, o segmento industrial apresentou redução na receita de 2,5%, a quarta queda mensal consecutiva. A entidade atribui o recuo no faturamento à concorrência, em alguns segmentos, dos produtos importados. A pesquisa registra alta de 1,9%, ante setembro de 2010, no faturamento do comércio, resultado do bom desempenho do mercado interno .

No segmento de serviços, houve retração de 0,6%. A entidade atribui o recuo ao bom resultado apresentado pelo segmento em setembro de 2010. “A base de comparação forte influenciou a queda”, explica o consultor do Sebrae-SP, Pedro João Gonçalves.

O diretor superintendente do Sebrae-SP, Bruno Caetano, avalia que, segundo as previsões de analistas, a economia brasileira tende a apresentar menor ritmo de crescimento nos próximos meses. “Enquanto o consumo interno estiver elevado, a partir da manutenção do poder de compra da população, o setor de serviços deve ficar aquecido”, ressalta.

Você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.