Ex-presidente Mujica renuncia ao senado e se aposenta da política

Além de José Mujica, outro ex-presidente do Uruguai fez a mesma ação: Julio María Sanguinetti; pandemia de coronavírus preocupa e assusta os políticos idosos

O ex-presidente do Uruguai, José Mujica, renunciou nesta terça-feira, dia 20, ao seu mandato de senador. Aos 85 anos, o político disse que sua decisão em antecipar o fim de sua carreira pública se dá pela pandemia de covid-19.

Despedida de José Mujica

Julio María Sanguinetti e José Mujica renunciaram ao Senado do Uruguai. Foto: divulgação/Parlamento del Uruguay
Julio María Sanguinetti e José Mujica renunciaram ao Senado do Uruguai. Foto: divulgação/Parlamento del Uruguay

O ex-presidente José Mujica lembrou em discurso na Câmara de Senadores do Uruguai, em sessão nesta terça, que o cargo exige contato direto com a população.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

“Esta situação me obriga, com muito pesar, por minha profunda vocação política, a solicitar que se tramite minha renúncia à cadeira que os cidadãos me concederam”, pronunciou o político em carta lida no Senado.

Com isso, informou que não está abandonando a política, mas sim a linha de frente. “Um bom dirigente é aquele que deixa pessoas que o superam com vantagem. Vou agradecido, com muitas recordações e profunda nostalgia. A pandemia me derrubou”, discursou.

 

A saúde de José Mujica é abalada por conta da Síndrome de Strauss, doença autoimune que, somada a idade avançada, o coloca no grupo de risco para a covid-19.

Ele já havia anunciado que deixaria o cargo. Em 2018, quando era senador, abandonou o cargo. No entanto, nas eleições do ano passado voltou a ser eleito para o Senado.

José Mujica foi Presidente da República Oriental do Uruguai entre 2010 e 2015, antes de ingressar no Senado. Sua esposa, Lucía Topolansky, também é senadora da República Oriental do Uruguai. Foi também vice-presidente do Uruguai na chapa de Tabaré Vázquez, após a renúncia de Raúl Fernando Sendic, de 13 de setembro de 2017 a 14 de fevereiro de 2020.

+ sobre política da América do Sul: eleições na Bolívia: boca de urna dá vitória a Luis Arce

Outro ex-presidente renunciou

Julio María Sanguinetti, que foi presidente do Uruguai por dois mandatos, também deixou sua cadeira no Senado. Aos 84 anos, disse em sua carta de renúncia que a decisão estava prevista desde antes das eleições de 2019.

“O que me motiva é principalmente a necessidade de atender a secretaria-geral do Partido Colorado, minhas atividades jornalísticas e correspondentes editoriais”, informou Sanguinetti.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes