O que está acontecendo no Afeganistão hoje e o que é o Talibã

Depois que o Talibã voltou ao poder, milhares de pessoas tentam deixar o País

O Afeganistão está novamente sob o controle do Talibã, um grupo fundamentalista que governou o país por cinco anos antes de as forças lideradas pelos EUA os expulsarem em 2001. Então além de entender o que está acontecendo no Afeganistão hoje, saiba o que significa o retorno do grupo ultraconservadora e quais os principais pontos do conflito de 2021.

O que está acontecendo no Afeganistão 2021?

O Talibã, um grupo militante que governou o país no final da década de 1990, voltou a assumir o controle. O avançar do Talibã no Afeganistão em 2021 começou depois de uma ofensiva militar contra o então presidente do Afeganistão Ashraf Ghani. O grupo extremista adentrou em capitais provinciais, enquanto as tropas americanas eram retiradas.

A previsão era de que o grupo tomaria o poder até setembro, com a promessa de um “governo de transição”. O que não aconteceu.

Depois que o Talibã voltou ao poder, milhares de pessoas tentaram deixar o País. Logo nas suas primeiras ações, o Talibã já fechou escolas, proibiu smartphones e forçaram rapazes a aderir ao grupo.

O que é o Talibã?

Talibã é um grupo fundamentalista considerado uma milícia extremista que quer instaurar no Afeganistão uma versão radical da lei islâmica. Antes de chegar a 2021, é importante explicar como surgiu o talibã.

O grupo é formado por guerrilheiros que expulsaram os soviéticos nos anos 1980 do País, contando com o apoio dos Estados Unidos e do Paquistão. Originalmente, o Talibã foi composto por “pashtuns”, o maior grupo étnico do Afeganistão.

Com o objetivo de restaurar as terras entre o Paquistão e o Afeganistão, o Talibã passou a impor uma visão extremista do Islã. Em 1994, o fundador do grupo e comandante Mohammad Omar lançou um movimento para garantir a segurança da cidade de Kandahar, ao sudoeste do País, que até então era palco de crimes e violência.

À época, a população queria lei e ordem e assim abriu espaço para o grupo fundamentalista. Dois anos depois, em 1996, o Talibã tomou Cabul, a capitão do país. Com um política brutal e repressiva, os extremistas arrancaram direitos das mulheres que não podiam estudar e ainda eram obrigadas a usar roupas que as escondesse completamente.

O Talibã também a fazer vigorar no País punições como: execução pública de assassinos e adúlteros e mutilação em casos de roubo.

Os homens tiveram de deixar a barba crescer e as mulheres passaram a usar burcas que cobrissem tudo. Foram proibidos televisão, música, filmes, maquiagem e que meninas acima de 10 anos frequentassem à escola.

Como o Talibã voltou ao poder – o que está acontecendo no Afeganistão

Depois dos atentados de 11 de Setembro, o grupo entrou na mira do mundo por ter sido acusado de apoiar a Al-Qaeda e seu líder Osama Bin Laden.

Em outubro daquele ano, 2001, os Estados Unidos atacaram o Afeganistão destituindo o Talibã do poder.

Acredita-se que muitas das lideranças do Talibã ficaram pelo Paquistão, local onde voltou a se fortalecer. Mais uma vez os extremistas encontraram brecha no povo afegão que lutava contra a colonização americana.

Ao mesmo tempo, os extremistas passaram a usar da campanha de medo e violência.

Por que os Estados Unidos estavam no Afeganistão?

Os Estados Unidos declararam guerra ao Afeganistão depois dos atentados de 11 de Setembro de 2001. O então presidente americano, George W. Bush culpava o grupo terrorista Al Qaeda pelo ataque às torres gêmeas.

Bush declarou guerra ao terrorismo e aos locais que abrigavam grupos terroristas, incluindo o Afeganistão, até então liderado pelo Talibã, onde Osama Bin Laden teria encontrado refúgio.

Em 2014, passados 13 anos dos ataques, o então presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, pôs fim às principais operações americanas no País.

As tropas foram reforçadas para treinamento e transferência de responsabilidades de segurança para o povo afegão, e assim os Estados Unidos encerrarem de vez suas ações no País.

Depois de eleito o novo presidente dos EUA, Donald Trump manteve o contingente no Afeganistão. Até que em fevereiro de 2020, durante negociações de paz em Doha, no Qatar, Trump afirmou que retiraria as tropas americanas em até 14 meses.

Neste ano, já com Joe Biden na Presidência, os Estados Unidos reafirmaram que levariam suas tropas embora até 11 de setembro.

No entanto, em maio, o grupo extremista começou uma ofensiva para tomar o poder a partir do Sul, Norte e no Oeste do País, usando como estratégia o desgaste das capitais das 34 províncias do Afeganistão em direção a grande cidades, como Herat, Kandahar e Kunduz. Até enfim chegar a Cabul no início desta semana.

Por que as pessoas estão fugido do país?

Os afegões estão preocupados que o país possa mergulhar no caos ou que o Talibã possa realizar ataques de vingança contra aqueles que trabalharam com os americanos ou o governo.

Muitos também temem que o grupo imponha novamente a dura interpretação da lei islâmica com a qual confiavam quando governaram o Afeganistão de 1996 a 2001. Naquela época, as mulheres eram proibidas de frequentar a escola ou trabalhar fora de casa. Eles tinham que usar a burca abrangente e estar acompanhados por um parente do sexo masculino sempre que saíam. O Talibã baniu a música, cortou as mãos de ladrões e adúlteros apedrejados.

O Taleban tem procurado se apresentar como uma força mais moderada nos últimos anos e diz que não vai se vingar, mas muitos afegãos são céticos em relação a essas promessas.

Veja o vídeo de pessoas tentando deixar o país. O conteúdo foi divulgado pela BBC.

As cenas têm repercutido no mundo inteiro, principalmente do aeroporto de Cabul, onde civis tentaram fugir. Esta é a primeira vez que o grupo extremista volta ao poder desde a ocupação americana, em 2001.

Enquanto aviões decolavam do aeroporto, milhares de pessoas ocupavam as pistas. Algumas tentaram fugir se agarrando às peças da aeronave e caíram durante a decolagem.

O que aconteceu com o presidente do Afeganistão?

Ele fugiu. O presidente Ashraf Ghani agachou-se e fez poucas declarações públicas enquanto o Talibã se espalhava pelo país. No domingo, quando chegaram à capital, ele deixou o Afeganistão , dizendo que havia escolhido partir para evitar mais derramamento de sangue. Não está claro para onde ele foi.

O que o Talibã vai fazer?

Os extremistas querem recuperar o poder perdido em 2001 e “restaurar” o que entendem pela visão radical da lei islâmica.

Ainda não se sabe exatamente como será o governo do País nas mãos do Talibã. O que já se sinaliza é que o grupo vai retirar direitos das mulheres, como impedir acesso à escola e fazer com que a vida volte a se pautar na lei islâmica.

Estima-se que hoje o Talibã seja muito maior em número de adeptos em comparação a quando foi derrubado, em 2001. Podem ter pelo menos 85 mil combatentes.

O controle territorial ainda não é possível de definir, no entanto as estimativas apontam para um controle entre 1/3 e 1/5 do País nas mãos dos extremistas.

O que significa o Talibã para as mulheres?

Muitas mulheres temem que isso possa significar uma grave reversão de direitos. As mulheres afegãs obtiveram grandes ganhos desde a derrubada do Talibã. Muitos estão preocupados em ficarem novamente confinados em suas casas. O Talibã disse que não se opõe mais à frequência escolar das mulheres, mas não estabeleceu uma política clara sobre os direitos das mulheres. O Afeganistão continua sendo um país extremamente conservador, especialmente fora das grandes cidades, e o status das mulheres frequentemente variava, mesmo sob o domínio do Talibã.

Acompanhe tudo sobre o que está acontecendo no Afeganistão e no mundo no DCI

Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes