Ataque no Afeganistão: combatentes do EI deixam ao menos 20 mortos

O ataque na prisão de Jalalabad interrompe um raro período de trégua entre o Talibã e as forças afegãs.

Pelo menos 20 pessoas foram mortas em um ataque no Afeganistão a uma prisão central na cidade de Jalalabad. Segundo as autoridades locais, o ataque foi reivindicado por combatentes do grupo jihadista Estado Islâmico (EI). 

De acordo com o Le Monde, o ataque começou na noite de domingo quando carros-bomba foram detonados na entrada da prisão por homens armados. Nesta segunda-feira, os combates entre as forças afegãs e atacantes do EI continuaram. 

Muitos veículos blindados e membros das forças de segurança foram posicionados na área, observou um jornalista da Agence France-Presse (AFP) perto da prisão. Segundo o jornalista, tiros e explosões eram audíveis de longe. “Os atacantes ainda estão dentro da prisão”, disse Attaullah Khogyani, porta-voz do governador da província de Nangarhar, da qual Jalalabad é a capital, à AFP.

Nesse meio tempo dos ataques, mais de mil prisioneiros tentaram fugir. O tiroteio com as forças de segurança deixou vinte pessoas mortas, segundo Zaher Adel, porta-voz do hospital da província. 

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Porém, o número de mortes pode aumentar, pois de acordo com Adel, ainda há pessoas gravemente feridas no hospital. Entre as vítimas estão prisioneiros, civis, guardas e membros das forças de segurança afegãs.

As forças de segurança afegãs vigiam o local do ataque a prisão de Jalalabad, Afeganistão, nesta segunda-feira, 3 de agosto de 2020. © REUTERS/Parwiz (PARWIZ/)

Ataque no Afeganistão interrompe período de trégua

O ataque ao Afeganistão aconteceu no terceiro e último dia de um cessar-fogo temporário entre o governo afegão e o Talibã. Centenas de prisioneiros do Talibã chegaram a ser liberados em um esforço para fazer com que as negociações de paz avançassem entre os dois lados.

De acordo com o Le Monde, o ataque ocorreu um dia depois que a agência de inteligência do Afeganistão anunciou que o país era responsável pela morte de um dos principais comandantes do EI, Assadullah Orakzai, perto de Jalalabad. Orakzai teria se envolvido em vários ataques mortais contra as forças de segurança afegãs.

Antes do ataque, Ashraf Ghani, presidente do Afeganistão, sugeriu que as negociações, constantemente adiadas entre o governo e o Taliban, poderiam começar após o Eid al-Adha (festividade muçulmana).

Fonte Le Monde

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes