Ações do Twitter despencam após banir o presidente Trump

Os investidores parecem hesitar com a decisão da rede social de suspender o presidente Trump.

Os preços das ações do Twitter despencam na segunda-feira (11). Afinal, os investidores parecem hesitar com a decisão da rede social de suspender o presidente Trump.

As ações da empresa com sede em San Francisco caíram até 12% no primeiro pregão. Isso ocorreu logo depois que a plataforma decidiu bloquear Trump da plataforma  na sexta-feira.

De acordo com o Twitter, a conta do presidente representava um “risco de mais incitamento à violência” depois que seus apoiadores invadiram o Capitólio.

As ações reduziram as perdas ao longo da manhã e caíram 6,4%, fechando em US$ 48,18.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

A ação do Twitter contra o presidente que está deixando o cargo – cuja conta tinha mais de 88 milhões de seguidores – foi a primeira suspensão permanente de um chefe de Estado.

Dessa forma, isso provavelmente gerará um debate furioso sobre o papel que as empresas de tecnologia desempenham na regulamentação da expressão.

Além disso, também poderá prejudicar a base de usuários do Twitter, já que apoiadores de Trump e ativistas de direita prometem boicotar a empresa.

 

Ações do Twitter despencam
Imagem: Reprodução / Getty Images

Ações do Twitter despencam

Em um comunicado, o Twitter disse que detectou planos de usuários na plataforma para realizar protestos armados, “incluindo um ataque secundário proposto ao Capitólio dos Estados Unidos e aos edifícios do Capitólio estadual em 17 de janeiro de 2021”.

O uso de mídias sociais para organizar levantes violentos pode levar o Twitter e outras empresas a intensificar seus esforços de moderação de conteúdo. Dessa forma, pode acarretar em custos maiores.

“A moderação incremental pode ser bem-vinda. Mas não é barata e pode beneficiar o Facebook, que já emprega um exército de moderação cerca de seis vezes maior que a força de trabalho do Twitter”, escreveram analistas da Bernstein.

Além disso, os legisladores democratas prestes a assumir o controle do Congresso neste mês estão tentando reprimir o Twitter e outros gigantes da mídia social por causa de seus papéis nos tumultos mortais do Capitólio, de acordo com relatórios.

Informar Erro
Fonte NY Post

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes