Ataque em Paris: sete pessoas foram detidas após possível incidente terrorista

Duas pessoas ficaram gravemente feridas perto dos antigos escritórios da revista sátira francesa Charlie Hebdo

Sete pessoas foram presas por conexão com um ataque em Paris próximo antigos escritórios da revista satírica Charlie Hebdo, disseram as autoridades.

Um homem armado com um cutelo feriu duas pessoas no ataque que aconteceu na quinta-feira (24).

O principal suspeito, um homem paquistanês de 18 anos, foi preso próximo ao local. De acordo com a polícia, outras seis pessoas estão sob custódia policial.

Assim, o ataque está sendo tratado como um incidente terrorista.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

De acordo com o ministro do Interior, Gérald Darmanin, este foi “claramente um ato de terrorismo islâmico”. Ele disse que a polícia subestimou o nível de ameaça na área.

O ataque aconteceu no momento em que um julgamento estava em andamento contra 14 pessoas acusadas de ajudar dois jihadistas a realizar o ataque de 2015 ao Charlie Hebdo, no qual 12 pessoas foram mortas.

O Charlie Hebdo desocupou seus escritórios após o ataque de 2015, agora o prédio pertence a uma produtora de televisão. Contudo, a localização atual da sede da revista permanece em segredo.

As duas vítimas do ataque de sexta-feira não foram oficialmente identificadas, mas a polícia disse que eles eram um homem e uma mulher que trabalhavam na produtora.

 

Ataque em Paris
Imagem: Reprodução / Getty Images

Ataque em Paris

De acordo com as testemunhas, as vítimas estavam do lado de fora da agência de produção de notícias Premieres Lignes, fumando um cigarro quando foram atacadas.

A empresa tem escritórios na Rue Nicolas Appert, uma rua fora do Boulevard Richard-Lenoir onde os escritórios do Charlie Hebdo costumavam estar localizados. Além disso, no mesmo local há um mural em homenagem aos mortos no ataque de janeiro de 2015.

“Fui até a janela e vi um colega, ensanguentado, sendo perseguido por um homem com um facão”, disse um funcionário, que pediu para não ser identificado.

“Os dois estavam gravemente feridos”, disse Paul Moreira, fundador e co-diretor da Premieres Lignes.

A polícia rapidamente isolou a área e  encontrou uma lâmina – descrita como um facão ou cutelo – nas proximidades.

O principal suspeito foi preso próximo a Place de la Bastille. Logo depois, um cidadão argelino de 33 anos também foi preso por possíveis ligações com o ataque.

Outras cinco pessoas de origem paquistanesa foram presas durante a busca em uma propriedade ao norte de Paris que se acredita ser a casa do principal suspeito.

Informar Erro
Fonte BBC

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes