Primeira usina nuclear árabe é inaugurada nos Emirados

Emirados Árabes Unidos anuncia a inauguração da primeira usina nuclear árabe e causa tensão nos países vizinhos.

No último sábado (01), os Emirados Árabes Unidos anunciou que a primeira usina nuclear árabe será inaugurada em Barakah.

Hamad Alkaabi, representante dos Emirados Árabes Unidos na Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), afirmou que “este é um momento histórico para os Emirados, em que podemos fornecer uma nova forma de energia limpa ao país”.

A princípio, os Emirados anunciaram em 17 de fevereiro que deram luz verde para iniciar a usina. Após uma série de testes, confiaram sua operação à Nawah Energy Company. Assim, a empresa, fundada em 2016, será responsável por operar e manter os quatro reatores na usina localizada no noroeste do país

A instalação foi construída por um consórcio liderado pela Emirates Nuclear Energy Corporation (ENEC) e pela Korea Electric Power Corporation da Coréia do Sul, a um custo estimado de US $ 24,4 bilhões. Segundo o Le Monde, a data de início da ativação dos reatores foi adiada várias vezes para atender as condições legais de segurança.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

De acordo com Mohammed Ben Zayed Al-Nahyane, príncipe herdeiro de Abu Dhabi, “este é um novo passo em nossa caminhada rumo ao desenvolvimento de energia nuclear pacífica”.

 

Primeira usina nuclear árabe causa tensão nos países vizinhos

As autoridades dos Emirados têm insistido na natureza “pacífica” de seu programa nuclear e garantem que ele não tem nenhum componente militar

De acordo com Hamad Alkaabi, “Os Emirados continuam apegados aos mais altos padrões de segurança nuclear, bem como à cooperação sólida e contínua com os parceiros nacionais e internacionais”. Inclusive, o país já recebeu mais de quarenta missões e inspeções internacionais da AIEA e da Associação Mundial de Operadores Nucleares desde 2010.

Mas, o vizinho Catar vê a usina de Barakah como uma “ameaça à paz regional” . Afinal de contas, como vários de seus aliados, incluindo a Arábia Saudita, Abu Dhabi mantém uma relação diplomática fria com o Catar. Os países não mantém relações oficiais desde junho de 2017.

Além disso, Abu Dhabi mantém laços tensos com Teerã, que também foi sancionado pela comunidade internacional por causa de seu controverso programa nuclear até a assinatura de um acordo com as principais potências mundiais em 2015, em Viena. Mas os EUA retirou-se unilateralmente do acordo em maio de 2018, restabelecendo vários pacotes de sanções contra o Irã.

 

Usina nuclear cobrirá a necessidade de energia do país

Quando estiverem operando totalmente, os quatro reatores da usina terão capacidade para produzir 5.600 megawatts de eletricidade. Ou seja, cerca de 25% das necessidades dos Emirados Árabes Unidos.

O estado federal, composto por sete emirados, tem uma população de 9,3 milhões, dos quais cerca de 80% são expatriados. 

Atualmente, as necessidades de eletricidade estão aumentando no país devido ao uso de ar condicionado durante os verões com altas temperaturas.

Fonte Le Monde

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes