Barbados removerá a Rainha como chefe de estado no próximo ano

O governador-geral da ilha caribenha afirma que “chegou a hora de deixar totalmente para trás nosso passado colonial”.

0 321

Barbados removerá a Rainha como chefe de estado ´para se tornar uma república no próximo ano, segundo comunicado. 

A ilha caribenha disse que quer “total soberania” quando comemorar seu 55º aniversário de independência do Reino Unido em novembro de 2021.

Um discurso escrito pela primeira-ministra de Barbados, Mia Mottley, citou seu primeiro premiê, Errol Barrow, que alertou contra a “vadiagem em instalações coloniais”.

Lendo o discurso, a governadora-geral de Barbados, Dame Sandra Mason, disse: “Chegou a hora de deixar totalmente para trás nosso passado colonial”.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

“Os barbadianos querem um chefe de estado barbadense. Esta é a declaração final de confiança em quem somos e no que somos capazes de alcançar”.

Bem como acrescentou “consequentemente, Barbados dará o próximo passo lógico em direção à soberania plena e se tornará uma república quando celebrarmos nosso 55º aniversário de independência”.

 

Barbados removerá a Rainha
Imagem: Reprodução / Getty Images

Barbados removerá a Rainha como chefe de estado

Embora a Rainha continue sendo sua monarca constitucional, o país ganhou sua independência da Grã-Bretanha em 1966.

Em 1998, uma comissão de revisão constitucional de Barbados recomendou o status de republicano. Além disso, em 2015, o primeiro-ministro Freundel Stuart disse “temos que passar de um sistema monárquico para uma forma republicana de governo em um futuro muito próximo”.

A maioria dos países caribenhos manteve vínculos formais com a monarquia após conquistar a independência.

Portanto, Barbados se unirá a Trinidad e Tobago, Dominica e Guiana se prosseguir com seu plano de se tornar uma república.

Nesse ínterim, o primeiro-ministro da Jamaica, Andrew Holness, também disse que essa é uma prioridade de seu governo, mas ainda não a alcançou.

Assim, Barbados deu mais um passo em direção à independência do Reino Unido em 2003, quando substituiu o Comitê Judicial do Conselho Privado com sede em Londres pelo Tribunal de Justiça do Caribe, localizado em Trinidad e Tobago, como seu tribunal de apelação final.

Informar Erro

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes