Cafeteira hackeada: especialista mostra como aparelhos domésticos não estão seguros

Especialista em segurança da Avast instala um ransomware na própria cafeteira e mostra como esses produtos domésticos inteligentes estão suscetíveis a ataques.

Já imaginou ter a sua cafeteira hackeada? A princípio a ideia pode parecer impossível ou muito estranha, afinal, quem hackearia uma cafeteira, não é mesmo?

Mas o especialista em segurança Martin Hron, da Avast, mostrou que isso é possível e muito perigoso.

Há algum tempo as empresas de segurança já lançaram alertas sobre dispositivos com sensores, câmeras e outros aparelhos simples de uso domésticos. De acordo com os alertas, esses aparelhos estão sujeitos a ataques e invasões, colocando a segurança em risco.

Para provar essa vulnerabilidade, Hron hackeou  a própria cafeteira e instalou nela um ransoware. Ou seja, através dessa invasão ele “sequestrou” a máquina, que ficaria inutilizável e só voltaria ao normal depois que o dono fizesse um pagamento de resgate.

 

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Cafeteira hackeada mostra falha de segurança

A ideia de Hron era mostrar como esses objetos do nosso dia a dia são vulneráveis.

No vídeo aparece uma cafeteira da marca iKettle 3 do ano de 2018. Apesar de poder se conectar a uma rede Wi-Fi, a máquina não apresenta nenhum mecanismo de proteção. Assim,  Hron conseguiu invadir o dispositivo e instalar o malware.

Depois estar no controle do hacker, a cafeteira mostrou uma mensagem com um endereço para resgate. Além de um emoji com diabinho.

Dessa forma, ela não respondia a nenhum comando e operava sozinha. Por exemplo, piscava as luzes, ativava o moedor de grãos sem qualquer conteúdo dentro e despejava água.

A forma como o especialista invadiu e os caminhos para isso não foram tão fáceis. Ainda assim, ele precisou decifrar os códigos, além de  estudar a fundo um os componentes da cafeteira.

Porém, ainda assim, ele conseguiu realizar a invasão e mostrou como esses “produtos inteligentes” estão suscetíveis à ataques. 

Além disso, ele também quis mostrar como a tecnologia no quesito segurança desses produtos não evoluiu e precisa melhorar.

Fonte Tecmundo Ars Technica

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes