Covid-19: Cientistas testam a combinação das vacinas Oxford e Sputnik V

Cientistas do Reino Unido e da Rússia se uniram para testar uma combinação das vacinas Oxford e Sputnik V. O objetivo é ver se as duas vacinas juntas podem aumentar a proteção contra a covid-19.

Cientistas do Reino Unido e da Rússia se uniram para testar uma combinação das vacinas Oxford e Sputnik V. O objetivo é ver se as duas vacinas juntas podem aumentar a proteção contra a covid-19.

Assim, a mistura de duas vacinas semelhantes pode levar a uma melhor resposta imunológica nas pessoas.

Os testes, que serão feitos na Rússia, envolverão maiores de 18 anos, embora não esteja claro quantas pessoas estarão envolvidas.

A Oxford – AstraZeneca publicou recentemente seus resultados mostrando que seu jab era seguro e eficaz em testes com pessoas.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Contudo, os pesquisadores ainda estão coletando dados sobre a eficácia da vacina em grupos de idade avançada. Bem como aguardam a aprovação do regulador do Reino Unido, o MHRA.

A AstraZeneca disse que está explorando combinações de diferentes vacinas de adenovírus para descobrir se misturá-las leva a uma melhor resposta imunológica e, portanto, a uma maior proteção.

 

combinação das vacinas Oxford e Sputnik
Imagem: Reprodução / Pexels

Combinação das vacinas Oxford e Sputnik V

A vacina Oxford é de fabricação britânica e desenvolvida em parceria com a AstraZeneca. Já a vacina russa Sputnik foi desenvolvida pelo Instituto de Pesquisa Gamaleya em Moscou.

Embora desenvolvidas em países diferentes, as duas são semelhantes porque ambas contêm material genético da proteína spike Sars-CoV-2

Contudo, elas funcionam de forma diferente da vacina Pfizer-BioNTech  que já recebeu a aprovação do Reino Unido, Canadá e está em processo de aprovação nos EUA.

Os primeiros resultados dos testes em estágio final da vacina Sputnik mostraram resultados promissores.

A Rússia foi o primeiro país a registrar uma vacina da covid-19 para uso emergencial em agosto. Agora o país está em uma campanha de vacinação em massa.

De acordo com a AstraZeneca, a empresa está “trabalhando com parceiros da indústria, governos e instituições de pesquisa em todo o mundo. E, em breve começará a explorar com o Instituto de Pesquisa Gamaleya na Rússia para entender se duas vacinas baseadas em adenovírus podem ter uma combinação com sucesso”.

Fonte BBC

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes