Covid-19 diminui as celebrações de ano novo em todo o mundo

Restrições estão sendo colocadas nas festividades de Ano Novo em todo o mundo, já que muitos países lutam para conter novos picos de casos de coronavírus.

A covid-19 diminui as celebrações de ano novo em todo o mundo. Assim, as exibições de fogos de artifício e outras reuniões públicas foram canceladas de Sydney a Nova York.

Além disso, as festividades estão sendo particularmente silenciadas na Europa, em meio a temores sobre uma nova mutação mais contagiosa da doença.

A França mobilizou 100 mil policiais para interromper as festas de Réveillon e impor um toque de recolher noturno.

Mais de 1,8 milhão de pessoas morreram com o vírus em todo o mundo desde o início da pandemia, há um ano. Bem como 81 milhões de casos foram relatados.

 

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Covid-19 diminui as celebrações de ano novo
Imagem: Reprodução / Getty Images

Covid-19 diminui as celebrações de ano novo

Uma das primeiras nações a celebrar o Ano Novo é a Austrália. A queima de fogos de Sydney está acontecendo. Mas as multidões não podem se reunir no porto da cidade para se divertir.

Na China, o show anual de luzes de Ano Novo na capital Pequim foi cancelado. Além disso, as comemorações estão diminuindo em várias cidades do país.

O Japão cancelou um tradicional evento de Ano Novo no qual o Imperador Naruhito e outros membros da família imperial deveriam saudar as pessoas.

Contudo, na Nova Zelândia, onde um bloqueio estrito e o fechamento das fronteiras praticamente eliminaram a covid, os planos para a véspera de Ano Novo ocorrem normalmente.

 

Europa sem comemorações

Na França, o governo ordenou uma presença visível de segurança nas áreas urbanas a partir das 20h de quinta-feira, quando começa o toque de recolher. Em Paris, metade das linhas do metrô estarão fechadas à noite.

A França teve dois bloqueios e bares, restaurantes e atrações culturais permanecerão fechados no novo ano.

Na Inglaterra – onde a nova mutação do coronavírus está se espalhando rapidamente – o primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, pediu às pessoas que sigam as regras.

“Isso significa não se encontrar com amigos ou família em ambientes fechados, a menos que estejam na mesma casa. Bem como devem evitar grandes reuniões de qualquer tipo”, disse ele na quarta-feira.

A Alemanha está em lockdown até 10 de janeiro. O governo proibiu a venda de fogos de artifício e colocou restrições rígidas sobre o número de pessoas que podem se reunir em público.

Fonte BBC

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes