Democratas buscam a destituição de Trump do cargo

Os Democratas buscam a destituição de Trump do cargo após a violenta invasão do Capitólio por uma multidão de seus apoiadores.

Os Democratas buscam a destituição de Trump do cargo após a violenta invasão do Capitólio por uma multidão de seus apoiadores.

O senador democrata Chuck Schumer disse que Trump deveria ser removido imediatamente. 

Contudo, a remoção precisaria do apoio republicano e apenas alguns o apoiaram até agora.

Em um discurso em vídeo, Trump afirmou que tem um comprometimento com uma transição “ordeira”.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Além disso, o presidente disse que um novo governo começará em 20 de janeiro e pediu “cura e reconciliação”.

Ele também argumentou que estava “indignado com a violência, ilegalidade e caos” na quarta-feira (6). Bem como pediu a todos os manifestantes para acalmarem os ânimos. Trump compartilhou o vídeo em seu Twitter, que teve a reativação na quinta-feira (7) após ser suspenso.

 

Trump diz a oficial da Geórgia
Imagem: Reprodução / Getty Images

Democratas buscam a destituição de Trump

Um número crescente de legisladores pediu que Trump recebesse um afastamento do cargo de presidente. A maioria deles são democratas, mas alguns republicanos também aderiram a ideia.

“Este presidente não deve ocupar o cargo nem mais um dia”, disse Schumer, que liderará a maioria democrata no Senado quando este iniciar sua nova sessão no final deste mês.

Pelo menos quatro pessoas morreram durante os distúrbios e 68 já foram presas.

As ações da polícia estão sob escrutínio, e eles receberam críticas por não conseguirem impedir a invasão dos rebeldes.

O oficial responsável pela segurança da Câmara dos Deputados renunciou. De acordo com os relatórios, o chefe da Polícia do Capitólio dos EUA, Steven Sund, também renunciará.

A secretária de transportes Elaine Chao é o mais recente membro da administração Trump a renunciar em protesto contra os distúrbios. Além disso, vários funcionários de cargos menores também renunciaram.

De acordo com o presidente eleito, Joe Biden, se fosse um grupo de manifestantes Black Lives Matter  o tratamento com as pessoas seria muito diferente  daquele que os pró-Trump receberam.

Informar Erro

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes