EUA aprova remdesivir como medicamento para tratar covid-19

EUA aprova remdesivir para ajudar no tratamento do covid-19. O presidente Donald Trump foi tratado com o medicamento quando se recuperava do coronavírus.

EUA aprova remdesivir, um medicamento antiviral originalmente desenvolvido para tratar o Ebola. Agora ele será usado também em pacientes com covid-19 no país.

O tratamento, que tem sua administração feita por via intravenosa no hospital, recebeu a aprovação da Food and Drug Administration (FDA).

A princípio acredita-se que ele evita que o SARS CoV-2 (o vírus que causa a covid-19) se multiplique no corpo. Além disso, faz com que alguns pacientes se recuperaram mais rápido após o uso.

O presidente Donald Trump é o paciente com coronavírus mais famoso que recebeu o tramaneto com remdesivir. Ele usou a medicação enquanto se recuperava de sua infecção no Hospital Militar Walter Reed em Maryland.

 

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

EUA aprova remdesivir
Imagem: Reprodução / Unsplash

EUA aprova remdesivir

A princípio, o medicamento recebeu autorização para uso nos Estados Unidos em caráter de emergência desde a primavera. Agora ele se tornou o primeiro medicamento a obter aprovação total no país para o tratamento de covid-19.

Contudo, um estudo global da Organização Mundial da Saúde (OMS) descobriu na semana passada que o remdesivir não ajudou os pacientes a sobreviver ou se recuperar mais rapidamente.

No entanto, um estudo do Instituto Nacional de Saúde dos Estados Unidos descobriu que a droga reduziu o tempo de recuperação em cinco dias – de 15 para 10 em média.

A desenvolvedora Gilead Sciences, da Califórnia, que nomeou a droga como Veklury, disse que a recomendação é para pessoas com pelo menos 12 anos de idade, pesando pelo menos 40 kg e que precisem de internação hospitalar por causa da infecção por coronavírus.

A Gilead começou a pesquisar o remdesivir em 2009 como parte dos estudos sobre a hepatite C e o vírus sincicial respiratório (RSV), um vírus  comum e altamente contagioso que a maioria das crianças contrai antes de completar dois anos.

Em maio, o medicamento também recebeu aprovação para uso no Reino Unido.

Além disso, a UE também autorizou a sua utilização, mas apenas para tratamento da covid-19.

Informar Erro
Siga-nos no 
Fonte Sky News

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes