Evento climático La Niña se desenvolve no Pacífico

O fenômeno que ocorre de forma natural resulta no resfriamento em grande escala da temperatura da superfície do oceano. Mas isso não impedirá que 2020 seja um dos anos mais quentes já registrados.

O evento climático La Niña, com intensidade de moderada a forte, se desenvolveu no Oceano Pacífico, de acordo com a Organização Meteorológica Mundial (OMM).

O fenômeno que ocorre de forma natural resulta no resfriamento em grande escala da temperatura da superfície do oceano.

Este La Niña, que deve durar até o primeiro trimestre de 2021, provavelmente terá um efeito de resfriamento nas temperaturas globais.

Mas isso não impedirá que 2020 seja um dos anos mais quentes já registrados.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

O La Niña é descrito como uma das três fases da ocorrência climática conhecida como El Niño-Oscilação Sul (ENOS) .

Isso inclui a fase quente chamada El Niño, o frio La Niña e uma fase neutra.

 

Evento climático La Niña
Imagem: Reprodução / Unsplash

Evento climático La Niña

O La Niña se desenvolve quando fortes ventos sopram as águas quentes da superfície do Pacífico para longe da América do Sul e em direção à Indonésia.

Em seu lugar, as águas mais frias do fundo do oceano vêm à superfície. Este evento leva a mudanças climáticas significativas em diferentes partes do mundo.

Se um evento La Niña realmente forte ocorrer, os cientistas sugerem que o Reino Unido e o norte da Europa podem passar por um inverno muito chuvoso.

A última vez que um evento forte se desenvolveu foi em 2010-2011.

A OMM afirma que há agora cerca de 90% de chance de as temperaturas do mar do Pacífico tropical permanecerem nos níveis de La Niña até o final deste ano.

Além disso, há 55% de chance de as condições persistirem até o primeiro trimestre do próximo ano.

Embora um evento La Niña normalmente exerça uma influência refrescante no mundo, é improvável que isso faça muita diferença em 2020.

“O La Niña normalmente tem um efeito de resfriamento nas temperaturas globais. Mas isso é mais do que compensado pelo calor retido em nossa atmosfera pelos gases de efeito estufa”, disse o professor Petteri Taalas, da OMM.

“Portanto, 2020 continua no caminho de ser um dos anos mais quentes já registrados e espera-se que 2016-2020 seja o período de cinco anos mais quente também já registrado”, disse ele.

Fonte BBC

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes