Farmacêutica americana Eli Lilly cria medicamento que combate a Covid

A farmacêutica Eli Lilly apresentou a eficácia do seu medicamento contra a Covid-19 em um estudo divulgado no último dia 21 de janeiro. A droga foi testada em uma casa de repouso, e reduziu os riscos da doença em 57%.

A empresa farmacêutica Eli Lilly divulgou um estudo importante sobre o seu medicamento criado para combater a Covid-19. A droga chamada bamlanivimab foi testada em moradores e funcionários de uma casa de repouso, e conseguiu reduzir o risco das pessoas adoecerem com a doença em 57% (do grupo total) e 80% nos residentes.

O estudo foi divulgado no dia 21 de janeiro, mas ainda não foi publicado oficialmente em uma revista científica, segundo o jornal The New York Times. O medicamento já vinha sendo testado e estudado desde agosto de 2020. A eficácia da bamlanivimab no grupo de idosos da casa de repouso, considerados grupo mais vulnerável na pandemia, provou que tem um potencial alto na redução de complicações causas pela Covid-19.

Quem pode tomar o medicamento da Eli Lilly contra a Covid-19?

Ainda segundo o estudo divulgado pela empresa farmacêutica, pessoas abaixo dos 12 anos não podem se medicar com o bamlanivimab. Também é preciso pesar mais de 40kg para usar o medicamento. No momento, a droga é recomendado para os grupos mais vulneráveis, pessoas quem já foram hospitalizadas devido à Covid-19 ou quem apresentou os sintomas em uma janela de 10 dias.

Anticorpos que combatem a Covid-19

Anticorpos caem rapidamente
Imagem: Reprodução / Pixabay

O medicamento produzida pela Eli Lilly nada mais é que um anticorpo que neutraliza a proteína spike da Covid-19, responsável pela entrada do vírus nas células humanas, ao se acoplar no receptor da enzima conversora da angiotensina 2. O remédio é administrado por via intravenosa, ou seja, é aplicado na veia do paciente.

Leia também

Primeiros casos da gripe aviária H5N8 são reportados na…

Papa dá à Cúria Romana livro para meditação durante a…

Segundo o The New York Yimes, o medicamento pertence a uma categoria na medicina conhecida como “anticorpos monoclonais”, que são anticorpos criados em laboratório e imitam a função dos originais que o sistema imunológico das pessoas produzem para evitar outras doenças causadas por vírus.

- PUBLICIDADE -

História da Eli Lilly

A farmacêutica Eli Lilly, também conhecida somente como Lilly, foi fundada na cidade de Indianápolis, estado de Indiana nos EUA, em 1876. Com mais de 140 anos, hoje em dia possuí aproximadamente 33.000 funcionários em todo o mundo.

Segundo informações divulgadas no próprio site da empresa, mais de 7.800 funcionários são engajados em pesquisa e desenvolvimento. Só de instalações focadas em pesquisas científicas, são oito países em que a Eli Lilly atua.  Já os produtos comercializados pela empresa circulam em 120 países.

Os medicamentos da Eli Lilly no Brasil

Segundo dados coletados em dezembro de 2019, no Brasil a empresa possuí cerca de 600 colaboradores. A Eli Lilly chegou no país em 1944 no Rio de Janeiro.  Após nove anos, as operações foram transferidas para a cidade de São Paulo e nove anos depois o nome da empresa passou a ser oficialmente Eli Lilly do Brasil.

Só no ano de 1953, a empresa começou a produzir seus medicamentos no Brasil, sendo os primeiros deles os respectivos medicamentos: Merthiolate, Isedrin, Xarope de Codestrina e Benzoped. Atualmente a sede da empresa fica localizada no bairro do Brooklin, na capital paulista.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes