OMS chama a abordagem da imunidade de rebanho da covid-19 de ‘imoral’

De acordo com o chefe da OMS, a abordagem da imunidade de rebanho da covid-19 não é válida como resposta à pandemia.

0 277

O chefe da Organização Mundial da Saúde chamou a abordagem da imunidade de rebanho da covid-19 de ‘imoral’. Além disso, ele também descartou uma resposta de imunidade coletiva à pandemia.

A imunidade de rebanho ocorre quando uma grande parte de uma comunidade se torna imune por meio de vacinações ou da disseminação em massa de uma doença.

Alguns argumentaram que o coronavírus deveria se espalhar naturalmente na ausência de uma vacina.

Mas o chefe da OMS, Tedros Ghebreyesus, disse que tal abordagem era “científica e eticamente problemática”.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Houve mais de 37 milhões de casos confirmados de coronavírus em todo o mundo desde o início da pandemia. Sabe-se que mais de um milhão de pessoas morreram.

Embora centenas de vacinas estejam atualmente em desenvolvimento, com algumas em testes avançados, nenhuma ainda recebeu aprovação internacional.

 

imunidade de rebanho da covid-19
Imagem: Reprodução / Pexels

Imunidade de rebanho da covid-19 

Em uma entrevista coletiva na segunda-feira, o Dr. Tedros argumentou que os impactos de longo prazo do coronavírus – bem como a força e a duração de qualquer resposta imunológica – permanecem desconhecidos.

“A imunidade do rebanho é obtida protegendo as pessoas de um vírus, não expondo-as a ele”, disse ele.

“Nunca na história da saúde pública a imunidade coletiva foi aceita como estratégia para responder a um surto, muito menos a uma pandemia”.

O chefe da OMS acrescentou que os testes de soroprevalência – onde o sangue segue para teste de anticorpos – sugerem que apenas 10% das pessoas foram expostas ao coronavírus na maioria dos países.

“Deixar a covid-19 circular sem controle significa, portanto, permitir infecções, sofrimento e morte desnecessários”, disse ele.

Além disso, Tedros também observou que a OMS registrou casos em que as pessoas são reinfectadas, o que contraria algumas teorias de imunidade.

Em todo o mundo, mais de 37,6 milhões de pessoas confirmaram casos de COVID-19, levando a mais de 1 milhão de mortes, de acordo com dados da Universidade Johns Hopkins.

Informar Erro
Fonte BBC

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes