Lei do aborto na Espanha poderá passar por mudanças sobre consentimento

Governo espanhol quer mudar a lei para permitir que jovens de 16 e 17 anos busquem o aborto sem a permissão dos pais.

A lei do aborto na Espanha poderá passar por mudanças. O governo espanhol disse que quer mudar a lei para permitir que jovens de 16 e 17 anos busquem o aborto sem a permissão dos pais.

A Ministra da Igualdade, Irene Montero, disse que as mulheres deveriam ter o direito de “decidir sobre seus corpos”.

Em 2015, o Partido Popular (PP), no poder, mudou as leis de aborto da Espanha. Nesse ínterim,  a mudança exigia o consentimento dos pais para aqueles com idade entre 16 e 18 anos.

O aborto é legal na Espanha nas primeiras 14 semanas de gravidez da mulher.

 

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

aborto na Espanha
Imagem: Reprodução / Getty Images

Mudança na lei do aborto na Espanha

Na quarta-feira (07), Montero disse que a reforma era “muito necessária”.

Além disso, acrescentou que outras medidas seriam introduzidas, incluindo um maior enfoque na educação sexual, que ela descreveu como uma “vacina” na luta contra a violência de gênero.

A mudança na lei também incluiria o direito às “mais novas formas” de contracepção, disse a ministra a uma comissão parlamentar.

O governo pretende revogar a reforma – introduzida pelo PP em 2015 – que previa a obrigatoriedade do consentimento dos pais no caso de jovens entre 16 e 18 anos que pretendessem interromper a gravidez.

Mas, para poder mudar essa regra, eles precisariam do apoio de uma maioria absoluta no parlamento, que é de 176 votos

 

Aborto legalizado na Espanha

O aborto foi legalizado pela primeira vez na Espanha em 1985 em casos de estupro ou danos físicos à mãe ou filho.

O alcance da lei foi ampliado em 2010 pelo último governo, que permitia o aborto de até 22 semanas nos casos de deformação do feto.

Em 2014, o então primeiro-ministro Mariano Rajoy abandonou os planos para limitar o aborto aos casos de estupro ou quando a saúde da mãe corresse sério risco.

As propostas atraíram ampla oposição e provocaram dissensão no Partido Popular de Rajoy, apesar de fazer parte de seu programa eleitoral em 2011.

Em vez disso, o governo mudou a lei para impedir que adolescentes de 16 e 17 anos façam um aborto sem o consentimento dos pais.

Informar Erro
Fonte BBC

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes