Médico francês alerta que seu país ‘perdeu o controle’ do vírus

Um médico francês avisa que seu país “perdeu o controle da epidemia”, um dia depois que as autoridades de saúde relataram mais de 52.000 novas infecções por coronavírus.

Um médico francês alertou na segunda-feira (26) que seu país “perdeu o controle da epidemia”. A declaração veio um dia depois que as autoridades de saúde relataram mais de 52.000 novos casos de coronavírus.

Assim, o Dr. Jean-François Delfraissy, presidente do conselho científico que assessora o governo francês sobre o vírus, disse que o país está em uma “situação muito difícil, até crítica”.

“Provavelmente existem mais de 50.000 novos casos todos os dias. Nossa estimativa no Conselho Científico está perto de 100.000 – o dobro”, disse Delfraissy à rádio RTL. “Entre aqueles que não foram testados e pacientes assintomáticos, estamos perto desse número de casos. Isso significa que o vírus está se espalhando extremamente rápido”.

Além disso, a França declarou estado de emergência no início deste mês e tem imposto cada vez mais restrições para tentar aliviar a pressão sobre os hospitais franceses, onde os pacientes com covid-19 ocupam mais da metade de todos os leitos de UTI.

 

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

médico francês
Imagem: Reprodução / Unsplash

Médico francês alerta sobre situação do covid-19 na França

O Dr. Eric Caumes, chefe do departamento de infecções e doenças tropicais do Hospital Pitie-Salpetriere de Paris, disse que o país precisa ter um lockdown novamente.

“Perdemos o controle da epidemia, mas isso não data de ontem”, disse ele à emissora Franceinfo.  Dessa forma, “já perdemos o controle da epidemia há várias semanas”.

O número de mortos confirmados na Europa ultrapassou 250.000, de acordo com uma contagem da Universidade Johns Hopkins, que estima o número global de mortos em mais de 1,1 milhão.

Um alto funcionário da Organização Mundial da Saúde (OMS) disse que os bloqueios nacionais poderiam ser evitados se as pessoas estivessem dispostas a fazer sacrifícios.

Maria Van Kerkhove, líder técnica da OMS, disse esperar que os países usem outras ferramentas para interromper a transmissão, incluindo o fortalecimento de seus sistemas de vigilância, teste e rastreamento de contato.

“Podemos evitar bloqueios nacionais”, disse Van Kerkhove. Ela disse que as pessoas devem assumir responsabilidade pessoal pelas decisões cotidianas. Por exemplo, não ir para lugares lotados, evitar ambientes fechados e adiar reuniões sociais.

Informar Erro
Siga-nos no 
Fonte ABC

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes