Mulher admite ter fingido ser negra durante 10 anos

Através de uma postagem no Medium, uma professora universitária dos EUA admite ter fingido ser negra a mais de 10 anos. Jessica Kru é professora de história afro-americana e escreveu vários livros sobre o tema.

0 63

Uma proeminente ativista e professora nos EUA admitiu que tem fingido ser negra. Jessica Kru de 38 anos é professora de história afro-americana na George Washington University.

Krug escreveu no blog do site Medium que suas várias identidades foram construídas em um “solo tóxico de mentiras”. Bem como admitiu ser, na verdade, uma judia branca de Kansas City.

Em contrapartida, a revelação traça paralelos com o caso da ex-ativista dos direitos civis Rachel Dolezal. Esta foi denunciada por seus pais em 2015 por ter mentido sobre ser negra.

Segundo a postagem do blog, Krug revelou que havia assumido muitas identidades falsas, incluindo “negritude norte-africana, negritude enraizada nos EUA e negritude enraizada no Caribe no Bronx”.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

“Eu reivindiquei essas identidades como minhas quando não tinha absolutamente nenhum direito de fazê-lo. Fazer isso é a própria epítome da violência, do roubo e da apropriação, das inúmeras maneiras pelas quais os não-negros continuam a usar e abusar de identidades e culturas negras”, escreveu ela.

“Eu construí minha vida em uma violenta mentira anti-negra, menti em cada respiração que dei… Não sou um abutre da cultura. Eu sou uma sanguessuga da cultura”, acrescentou ela.

 

fingido ser negra
Imagem: Reprodução / Estúdio fralda

Professora confessa ter fingido ser negra

De acordo com o site da George Washington University, Krug tem um doutorado e “é uma historiadora da política, ideias e práticas culturais na África e na diáspora africana”. Além disso, ela também escreveu vários livros sobre história e cultura negra.

A porta-voz da universidade, Crystal Nosal, disse: “Estamos cientes da postagem e estamos investigando a situação. Portanto, não podemos comentar mais sobre essas questões pessoais”.

Nesse ínterim, vários escritores e ativistas tweetaram sua raiva com o engano. Por exemplo, o autor Robert Jones Jr twittou: “Esta manhã, descobri que Jessica A Krug é uma mulher branca que se faz passar por negra há mais de 10 anos”.

Na postagem do blog do Medium, intitulada “a verdade e a anti-negritude de minhas mentiras”,  Krug culpou um dano psicológico causado por um trauma na infância por suas mentiras.

Informar Erro
Fonte Sky News

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes