Vazamento de dados revela que o número de mortes por coronavírus no Irã foram encobertos

Denúncia mostra que números de mortes por coronavírus no Irã é quase o triplo do divulgado pelo governo.

Desde o início do surto de coronavírus no Irã, muitos observadores duvidaram dos números oficiais. Segundo eles, haviam irregularidades nos dados entre os níveis nacional e regional. 

Algumas autoridades locais do país também chegaram a se manifestar sobre essa diferença. Além disso, um grupo de estatísticos tentaram fornecer estimativas como alternativas aos números oficiais divulgados.

Segundo informações vazadas para a BBC, as autoridades iranianas relataram números diários significativamente mais baixos, sugerindo que muito dos números de mortes por coronavírus no Irã foram suprimidos.

 

A denúncia sobre os dados do coronavírus do Irã

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

De acordo com a BBC, os dados foram enviados por uma fonte anônima, que decidiu compartilha-los com o jornal para “esclarecer a verdade” e encerrar os “jogos políticos” sobre a epidemia.

Segundo a BBC, a denúncia apresenta detalhes de internações diárias em hospitais do Irã, incluindo nomes, idade, sexo, sintomas, data e duração dos períodos passados ​​no hospital e condições subjacentes que os pacientes poderiam ter.

A discrepância entre os números oficiais e o número de mortes nesses registros coincide com a diferença entre os números oficiais e os cálculos de excesso de mortalidade até meados de junho.

De acordo com esses dados,  esse excesso revela um número de mortes acima do que seria esperado em condições “normais”.

 

O que os dados revelam

A princípio, a primeira morte registrada na lista vazada à BBC ocorreu em 22 de janeiro, um mês antes do primeiro caso de coronavírus ser oficialmente registrado no Irã.

Na época, as autoridades do Ministério da Saúde eram inflexíveis em não reconhecer um único caso de coronavírus no país. Porém, haviam relatos de jornalistas iranianos e avisos de vários médicos sobre casos existentes.

Após 28 dias, houve o primeiro reconhecimento oficial de uma morte por coronavírus em 19 de fevereiro. Porém, de acordo com os dados, nessa data 52 pessoas já haviam morrido.

Ainda de acordo com os dados divulgados, Teerã, a capital, tem o maior número de mortes, com 8.120 pessoas.

Logo depois, a cidade de Qom, o epicentro inicial do vírus no Irã, é a mais atingida com 1.419 mortes, cerca de uma morte com o Covid-19 para cada 1.000 pessoas.

De acordo com o relatório, o aumento inicial de mortes é muito mais acentuado do que os números do Ministério da Saúde. Ainda, em meados de março, era cinco vezes maior que o número oficial.

Segundo a BBC,  1.916 mortes eram de cidadãos não iranianos.

Em resposta, o Ministério da Saúde do Irã disse que os relatórios do país à Organização Mundial da Saúde são “transparentes” e não contém desvios.

 

Fonte BBC

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes