ONU pede “estado de emergência climática” a todos os países

A declaração foi feita no último sábado (12) na abertura da cúpula que pretende relançar esforços para combater o aquecimento global, cinco anos após o acordo de Paris.

ONU pede “estado de emergência climática”, cinco anos após o acordo de Paris.

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Antonio Guterres, fez um apelo ao mundo para “declarar estado de emergência climática”.

A declaração foi feita no último sábado (12) na abertura da cúpula que pretende relançar esforços para combater o aquecimento global, cinco anos após o acordo de Paris.

“Convido hoje os líderes mundiais a declarar um estado de emergência” disse o Guterres. Cinco anos atrás a comunidade internacional comprometeu-se a conter o aquecimento “significativamente” abaixo de + 2 ° C.  E, se possível, + 1,5 ° C, em comparação com a era pré-industrial.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Mas os compromissos de redução das emissões de gases de efeito estufa (GEE) assumidos pelos países “não foram suficientes” e “não foram respeitados”, disse Guterres. Bem como acrescentou que é necessário “reduzir as emissões globais em 45% até 2030 em relação aos níveis de 2010” .

 

ONU pede estado de emergência climática
Imagem: Reprodução / Pixabay

ONU pede “estado de emergência climática”

O presidente chinês, Xi Jinping, anunciou que seu país reduzirá sua intensidade de carbono em 65% até 2030 em relação aos níveis de 2005. Atualmente, a China é considerado um dos países mais poluentes do mundo.

Contudo, o presidente comprometeu-se com a redução das taxas de emissões de carbono. Bem como acrescentou que a energia renovável será responsável por 25% do consumo de energia primária da China até 2030.

Além disso, a capacidade das usinas eólica e solar chegará a 1.200 gigawatts até o final da década, afirmou.

 

Promessas da comunidade internacional

Antes da cúpula, vários estados anunciaram planos ambiciosos para reduzir suas emissões de GEE. Na sexta-feira, os 27 países da União Europeia (UE) concordaram em reduzir suas emissões em “pelo menos 55%” até 2030 em relação aos níveis de 1990, contra -40% anteriormente, a fim de alcançar neutralidade de carbono em 2050.

O presidente eleito dos EUA, Joe Biden, prometeu que os EUA alcançarão sua meta de atingir a neutralidade de carbono até 2050.

O primeiro-ministro britânico Boris Johnson anunciou que o Reino Unido parará “o mais rápido possível” de apoiar financeiramente projetos de combustíveis fósseis no exterior.  Bem como se comprometeu a reduzir as emissões carbono em pelo menos 68% até 2030.

Informar Erro
Fonte Le Monde

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes