ONU remove maconha da categoria de drogas mais perigosas

A Comissão de Entorpecentes da ONU votou na quarta-feira (2) para remover a cannabis e a resina de cannabis da categoria das drogas mais perigosas do mundo.

ONU remove  maconha da categoria de drogas mais perigosas

A Comissão de Entorpecentes da ONU votou na quarta-feira (2) para remover a cannabis e a resina de cannabis da categoria das drogas mais perigosas do mundo.

Assim, isso pode impactar a indústria global de maconha medicinal.

A agência da ONU com sede em Viena disse em um comunicado que votou por 27-25, com uma abstenção, para seguir a recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS) para remover a cannabis e a resina de cannabis do Anexo IV da Convenção de 1961 sobre Drogas Narcóticas. Neste anexo estão listados heroína e vários outros opióides.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Os medicamentos que estão no Anexo IV são um subconjunto daqueles no Anexo I da convenção, que já requer os mais altos níveis de controle internacional. 

 

ONU remove maconha
Imagem: Reprodução / Pexels

ONU remove maconha da categoria de drogas restritas

Portanto, a votação de quarta-feira não autoriza os países membros da ONU a legalizar a maconha sob o sistema internacional de controle de drogas.

O Canadá e o Uruguai legalizaram a venda e o uso de maconha para fins recreativos. Mas muitos países ao redor do mundo descriminalizaram o porte de maconha.

As programações pesam a utilidade médica de uma droga versus os possíveis danos que ela pode causar.

De acordo com os especialistas, retirar a cannabis da programação mais rígida pode levar, no entanto, ao afrouxamento dos controles internacionais sobre a maconha medicinal.

 

Pesquisa para uso médico

Em 2019, a OMS fez uma recomendação em um relatório que “a cannabis e a sua resina devem ser programadas em um nível de controle que evitará os danos causados ​​pelo uso de cannabis. E, ao mesmo tempo, não atuará como uma barreira ao acesso e à pesquisa e desenvolvimento de preparação relacionada à cannabis para uso médico”.

Contudo, a comissão ainda não legalizou a cannabis. Afinal, ela ainda está em uma lista entre as drogas que são “altamente viciantes e passíveis de abuso”. 

A OMS recomendou que a cannabis ainda fosse listada no nível de controle da Tabela I, uma vez que reconheceu “as altas taxas de problemas de saúde pública decorrentes do uso de cannabis”.

Além disso, a OMS também recomendou que “extratos e tinturas de cannabis” fossem removidos da Lista I. Contudo, o órgão da ONU descartou esta recomendação.

Informar Erro
Fonte ABC

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes