ONU remove maconha da categoria de drogas mais perigosas

A Comissão de Entorpecentes da ONU votou na quarta-feira (2) para remover a cannabis e a resina de cannabis da categoria das drogas mais perigosas do mundo.

ONU remove  maconha da categoria de drogas mais perigosas

A Comissão de Entorpecentes da ONU votou na quarta-feira (2) para remover a cannabis e a resina de cannabis da categoria das drogas mais perigosas do mundo.

Assim, isso pode impactar a indústria global de maconha medicinal.

A agência da ONU com sede em Viena disse em um comunicado que votou por 27-25, com uma abstenção, para seguir a recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS) para remover a cannabis e a resina de cannabis do Anexo IV da Convenção de 1961 sobre Drogas Narcóticas. Neste anexo estão listados heroína e vários outros opióides.

Os medicamentos que estão no Anexo IV são um subconjunto daqueles no Anexo I da convenção, que já requer os mais altos níveis de controle internacional. 

 

Onu remove maconha
Imagem: reprodução / pexels

ONU remove maconha da categoria de drogas restritas

Portanto, a votação de quarta-feira não autoriza os países membros da ONU a legalizar a maconha sob o sistema internacional de controle de drogas.

O Canadá e o Uruguai legalizaram a venda e o uso de maconha para fins recreativos. Mas muitos países ao redor do mundo descriminalizaram o porte de maconha.

As programações pesam a utilidade médica de uma droga versus os possíveis danos que ela pode causar.

De acordo com os especialistas, retirar a cannabis da programação mais rígida pode levar, no entanto, ao afrouxamento dos controles internacionais sobre a maconha medicinal.

 

Pesquisa para uso médico

Em 2019, a OMS fez uma recomendação em um relatório que “a cannabis e a sua resina devem ser programadas em um nível de controle que evitará os danos causados ​​pelo uso de cannabis. E, ao mesmo tempo, não atuará como uma barreira ao acesso e à pesquisa e desenvolvimento de preparação relacionada à cannabis para uso médico”.

Contudo, a comissão ainda não legalizou a cannabis. Afinal, ela ainda está em uma lista entre as drogas que são “altamente viciantes e passíveis de abuso”. 

A OMS recomendou que a cannabis ainda fosse listada no nível de controle da Tabela I, uma vez que reconheceu “as altas taxas de problemas de saúde pública decorrentes do uso de cannabis”.

Além disso, a OMS também recomendou que “extratos e tinturas de cannabis” fossem removidos da Lista I. Contudo, o órgão da ONU descartou esta recomendação.

Fonte ABC
Você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.