Centenas de pessoas presas em protestos ‘anti-corona’ na Alemanha

A polícia de Berlim prendeu 300 manifestantes durante protestos contra as restrições ao coronavírus na Alemanha.

Cerca de 38.000 pessoas saíram às ruas de Berlim em protestos ‘anti-corona’ na Alemanha. Logo depois, centenas de manifestantes, muitos da extrema direita, tentaram invadir o Reichstag, a casa do parlamento federal da Alemanha.

Várias pessoas foram presas e os políticos alemães condenaram o ataque como “vergonhoso” e “inaceitável”. 

Alguns dos envolvidos tinham insígnias do movimento de extrema direita Reichsbürger (Cidadãos do Reich). O vice-chanceler, Olaf Scholz, disse: “Os símbolos nazistas, bem como as bandeiras do Reichsbürger e do Império Alemão, não têm lugar no Bundestag alemão”.

Anteriormente, cerca de 200 pessoas foram presas em um comício, que as autoridades atribuíram a agitadores de direita que teriam atirado pedras e garrafas.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

As manifestações de protesto contra as restrições ao coronavírus aconteceram em outras cidades europeias, com alguns manifestantes chamando o vírus de uma farsa.

Milhares se reuniram na Trafalgar Square de Londres para protestar contra questões como as restrições ao coronavírus e 5G. Os manifestantes mostravam cartazes com os dizeres “máscaras são focinheiras” e “novo normal = novo fascismo”.

Protestos semelhantes ocorreram em Paris, Viena e Zurique.

 

protestos anti-corona
Imagem: Reprodução / REUTERS

Protestos ‘anti-corona’ na Alemanha

Os protestos ‘anti-corona’ na Alemanha  foram originalmente proibidos, mas um tribunal acabou permitindo que fossem em frente.

A polícia ordenou que um grupo próximo ao Portão de Brandenburgo se dispersasse por desrespeitar as regras de segurança, e prendeu 200 pessoas depois que pedras e garrafas começaram a ser atiradas.

Embora a Alemanha até agora não tenha visto a onda de casos que afeta algumas partes da Europa, sua taxa de infecção vem crescendo. O número de novos casos está atingindo níveis máximos vistos pela última vez em abril.

 

Medidas de proteção a covid-19 da Alemanha

O país foi um dos mais eficazes no cumprimento do quadro de resposta denominado: prevenir, detectar, conter e tratar.

Além disso, a Alemanha tem sido particularmente eficaz em manter a taxa de mortalidade entre os maiores de 70 anos mais baixa.

O país começou a diminuir o distanciamento social no início de abril, mas continuou a rastrear infecções, que aumentaram em agosto.

Na quinta-feira, a chanceler Angela Merkel e os 16 estados federais introduziram uma multa mínima de € 50 para quem não usar a máscara facial quando ordenada. A proibição de grandes eventos públicos também se mantém até o próximo ano.

De acordo com Merkel, “teremos que viver com esse vírus por muito tempo. Ele ainda é sério”. 

Informar Erro
Fonte BBC

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes