Milhares participam de protestos contra restrições do coronavírus em Londres

A manifestação ocorre no momento em que o Parlamento se prepara para revisar a legislação do covid-19 e o governo impõe novas restrições ao controle da doença.

No último fim de semana, milhares de pessoas participaram de protestos contra restrições do coronavírus em Londres.

A polícia teve que intervir para interromper o protesto contra as restrições impostas para desacelerar a disseminação do covid-19, depois que os manifestantes ignoraram os avisos para observar as regras de distanciamento social.

Milhares de pessoas, a maioria das quais não usava máscaras, lotaram a praça de Trafalgar Square para ouvir oradores que criticavam as restrições impostas pelo governo. 

De acordo com os manifestantes, essa é uma reação exagerada à pandemia que restringiu desnecessariamente os direitos humanos e a liberdade de expressão do público.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

O Serviço de Polícia Metropolitana havia dito antes do evento que os policiais iriam primeiro encorajar os manifestantes a seguir as regras de distanciamento social. Contudo, tomariam medidas de repressão se eles não cumprissem as ordens. 

Quando o evento começou, os policiais eram visíveis em todo o perímetro da praça. Entretanto, não se moveram no meio da multidão por cerca de três horas.

 

protestos contra restrições do coronavírus
Imagem: Reprodução / Getty Images

Protestos contra restrições do coronavírus

As manifestações em Londres ocorrem em um momento que o Parlamento se prepara para revisar a legislação do covid-19 e o governo impõe novas restrições ao controle da doença. Além disso, alguns legisladores criticaram o governo por implementar as regras sem a aprovação parlamentar.

Os palestrantes no comício negaram que eles fossem teóricos da conspiração, argumentando que defendiam a liberdade de expressão e os direitos humanos.

O governo no início desta semana ordenou um toque de recolher às 22h em bares e restaurantes em todo o país, junto com exigências mais rígidas de máscaras e aumento de multas por descumprimento. Também proibiu a maioria dos encontros sociais com mais de seis pessoas.

Mas há isenção para protestos, desde que os organizadores apresentem uma avaliação de risco e respeitem o distanciamento social.

A Grã-Bretanha tem o pior número de mortes na Europa devido à pandemia, com quase 42.000 mortes confirmadas ligadas ao covid-19. Novas infecções, hospitalizações e mortes aumentaram drasticamente nas últimas semanas.

Informar Erro

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes