Milhares quebram restrições da covid-19 e participam de rave ilegal na França

Uma rave ilegal na França em um armazém que começou na véspera de Ano Novo, desafiando as precauções contra o coronavírus, foi fechada pela polícia após prisões e confrontos.

Uma rave ilegal na França em um armazém que começou na véspera de Ano Novo, desafiando as precauções contra o coronavírus, foi fechada pela polícia após prisões e confrontos.

Alguns dos 2.500 participantes da rave  em Lieuron na Bretanha, planejavam festejar até terça-feira (5).

Assim, a polícia aplicou multas aos foliões e identificou os organizadores. De acordo com a polícia, vários festeiros vinham da Inglaterra e da Espanha.

Os participantes entraram em confronto com a polícia, colocaram fogo em um carro e jogaram objetos contra policiais que tentavam encerrar o evento. Pelo menos três policiais ficaram feridos.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

A festa aconteceu em dois hangares de armazém desativados.

 

França mobiliza 100 mil policiais
Imagem: Reprodução / iStock

Rave ilegal na França

De acordo com o ministro do Interior, Gérald Darmanin, os policiais apreenderam caminhões, equipamentos de som e geradores no local. Bem como uma investigação foi aberta.

Dessa forma, os políciais emitiram mais de 1.200 multas por descumprimento do toque de recolher, não uso de máscara e participação de reunião ilegal, disse Darmanin.

Na sexta-feira (1), as autoridades disseram que abriram um cordão sanitário ao redor da festa e todas as pessoas que saíram do evento receberam notificação para se isolarem por 7 dias.

Um dos festeiros, que se chama Jo, disse à agência de notícias AFP que “poucos respeitaram o distanciamento social” no evento.

Na sexta-feira,  o Ministério do Interior realizou uma reunião de crise para discutir as próximas ações. Bem como  houveram bloqueios das saídas de veículos da rave  enquanto a polícia tentava encerrar a festa.

 

Restrições

A França introduziu regras rígidas antes do Ano Novo, incluindo um toque de recolher das 20h às 6h.

Além disso, mais de 100 mil policiais foram mobilizados em todo o país para separar as festas e fazer cumprir o toque de recolher.

Assim, os oficiais receberam instruções para interromper as festas clandestinas, multar os participantes e identificar os organizadores.

A França registrou mais de 2,6 milhões de casos de coronavírus e 64.892 mortes desde o início da pandemia.

Informar Erro
Fonte BBC

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes