Coronavírus: França anuncia toque de recolher em Paris e Marselha

O presidente francês Emmanuel Macron anunciou um toque de recolher em Paris, Marselha e sete outras cidades. O governo também decidiu restabelecer seu estado de emergência de saúde da covid-19.

O presidente francês, Emmanuel Macron,  anunciou um toque de recolher em Paris e outras oito cidades na última quarta-feira (14).

Assim, os moradores de Paris e de outras oito cidades, incluindo Marselha, terão que cumprir um toque de recolher das 21h às 6h.

A restrição, que entrará em vigor no sábado e terá duração de pelo menos quatro semanas, fará com que os moradores não possam ir a restaurantes ou residências durante esse horário.

Assim, Macron disse em rede nacional: “Precisamos agir. Precisamos travar a propagação do vírus”.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Além disso, para além de Paris e da região envolvente, as novas medidas visam também as cidades de Grenoble, Lille, Lyon, Marselha, Montpellier, Rouen, Saint-Etienne e Toulouse.

“Não sairemos do restaurante depois das 21h”, disse Macron. “Não vamos festejar com amigos porque sabemos que é aí que o risco de contaminação é maior”.

 

toque de recolher em Paris
Imagem: Reprodução / Unsplash

Toque de recolher em Paris 

Portanto, qualquer pessoa que violar as novas regras enfrentará uma multa de € 135.

“Estamos em uma situação preocupante”, continuou ele, enquanto insistia que a França não havia “perdido o controle” do vírus.

Dessa forma, as novas medidas têm como objetivo conter a disseminação do vírus na França e controlar o aumento recente de novos casos.

De acordo com as autoridades de saúde, mais de 9.100 pacientes estavam atualmente no hospital em tratamento para covid-19, o número mais alto desde 25 de junho. Isso levou alguns especialistas a sugerir que o sistema médico do país está à beira de ficar sobrecarregado.

 

Estado de emergência

Pouco antes do anúncio do toque de recolher, o governo francês decidiu restabelecer o estado de emergência de saúde pública em uma tentativa de conter o aumento das infecções por coronavírus em todo o país.

A declaração formal foi feita em comunicado do governo. Bem como acrescentou que a pandemia foi um desastre de saúde pública que pôs em risco o bem-estar de toda a população.

A França estava enfrentando “uma catástrofe de saúde”, de acordo com a ata de uma reunião de gabinete realizada na quarta-feira.

O estado de emergência sanitária é um quadro jurídico que permite ao governo seguir uma linha mais rígida no combate à propagação de infecções.

Informar Erro
Fonte DW

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes