Negociar reajuste de aluguel: confira dicas práticas

Ter uma conversa franca com o proprietário do imóvel é primeiro passo para chegar a um meio termo.

Leve para a conversa pontos importantes como a situação atual do país, seu histórico como inquilino e possíveis alternativas de imóveis similares a preços mais baixos no mercado.

O cenário para quem aluga um imóvel pode ser preocupante. Isso porque o IGP-M, taxa que serve de base para o cálculo de aumento anual, já supera a inflação e apenas em dezembro chegou a 24%. Desse modo, é necessário usar bons argumentos para negociar o reajuste de aluguel. Em uma época de crise econômica eles fazem muito sentido.

Primeiramente, é preciso considerar que boa parte dos brasileiros viu sua renda diminuir no último ano. Em paralelo, donos de imóveis parados que contam com a receita de aluguel também vêm precisando baixar preços para conseguir inquilinos. Um imóvel parado pode significar gastos com manutenção, condomínio e IPTU. Neste contexto, se não houver negociação, pode até ficar mais fácil mudar de imóvel.

Segundo o especialista em mercado imobiliário Rafael Scodelario, a melhor saída é apostar na negociação entre inquilino e proprietário.  “Em um cenário de alta, enquanto a renda de boa parte dos brasileiros está em déficit devido a pandemia, inquilino e proprietário devem chegar a um acordo no qual ambos consigam adaptar-se sem o risco de sair no prejuízo”, aponta.  

 

Para negociar o reajuste de aluguel, foque em transparência

 

Ao negociar o reajuste de aluguel, procure ser transparente com o proprietário. Scodelario explica que ambos devem estar cientes dos motivos por trás da negociação. Ou seja, pode ser desde a inviabilidade do proprietário de abrir mão do reajuste devido aos custos do imóvel ou o comprometimento de boa parte da renda do inquilino para o pagamento do aluguel.  

Legalmente, a relação entre ambos é intermediada pela Lei do Inquilinato (Lei 8245/91). Quando o inquilino assina o contrato, já existe a aceitação das possíveis taxas de reajuste. Mas se ele não concordar, também pode rescindir. Dessa forma, é preciso só ver se há multas relacionadas ao cancelamento. E apenas uma negociação direta com o proprietário pode alterar possíveis cláusulas pré combinadas.

Negociar o reajuste de aluguel
Imagem: reprodução / unsplash

Dicas práticas para considerar na conversa

 

Finalmente, ao negociar o reajuste do aluguel com o proprietário é importante levantar alguns pontos:

  • Fale sobre a situação econômica do país e o contexto de diminuição de renda dos brasileiros em geral. Inclusive a sua se for o caso. Dê exemplos, se mostre disposto a chegar em um meio termo que seja bom para ambos.
  • Lembre que o mercado oferece muitas alternativas similares para locação a preços menores. Ou seja, se não houver negociação, pode ficar até mais barato alugar um outro imóvel. Neste caso, o proprietário pode sair perdendo.
  • Se você for um bom inquilino, lembre ao proprietário algumas questões. Por exemplo, como você tem cuidado bem do imóvel, eventuais benfeitorias, pagamentos em dia, etc.
  • Por fim, tente convencê-lo de que é melhor ganhar um pouco menos com o reajuste do que ficar sem receber o aluguel. Além disso, ter que pagar condomínio e IPTU até alugar o imóvel de novo. Neste caso, o prejuízo pode ser pior. E, se for o caso, lembre que ele ainda corre o risco de não alugar para um inquilino tão bom pagador quanto você.

 

Você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.