Prévia da inflação de julho fica em 0,30% com alta da gasolina

IPCA-15 indica alta de 0,30% em julho, principalmente por conta do aumento de 4,47% do preço da gasolina, que vinha de quatro quedas consecutivas

O aumento de 4,47% no preço da gasolina puxou a prévia da inflação de julho, causando impacto no IPCA-15 (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), calculado em 0,30%.

Em junho, a prévia da inflação foi de alta de 0,02%, de acordo com levantamento.

No geral, o grupo Transportes teve alta de 1,11%, segundo dados divulgados hoje pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Gasolina teve alta, após quatro quedas consecutivas (Foto/Divulgação)

 

 

 

 

 

 

 

 

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Este mês, IBGE calculou alta média de 4,40% nos combustíveis, principalmente na gasolina, após quatro meses consecutivos de queda nos preços.

Ainda nos Transportes, houve aumento nas tarifas de metrô (2%), puxado principalmente pelo reajuste de 8,70% nas passagens do Rio de Janeiro, que entrou em vigor no dia 11 de junho.

Por outro lado, o transporte por aplicativo (-11,98%) e as passagens aéreas (-4,16%) ficaram mais baratos. Os bilhetes de avião já registram redução nos preços em maio (27,08%) e junho (26,08%), acumulando recuo total de 48,34% nos últimos três meses.

Os custos em casa (Habitação) ficaram mais altos (0,50%) por consequência do aumento das tarifas de energia elétrica (1,03%) em seis regiões metropolitanas, variando de 0,28% em Porto Alegre até 5,15% em Fortaleza.

Além disso, a taxa de água e esgoto subiu 0,13%,  impactando na prévia da inflação. O gás encanado caiu 0,08%. Confira a pesquisa completa clicando aqui.

Queda nos preços – Prévia da inflação de julho

De acordo com o IBGE, itens do grupo Alimentação e do Vestuário apresentaram quedas que seguraram a inflação de julho. A redução foi encontrada nos preços das roupas femininas (-1,32%), masculinas (-1,18%), infantis (-0,59%) e, ainda, os calçados e acessórios (-0,88%).

No grupo Alimentação, queda nos preços de tubérculos, raízes e legumes (-15,76%), tomate (-22,75%), batata-inglesa (-20,70%), cenoura (-18,60%) e cebola (-7,09%). Mas refeições fora de casa, no entanto, continuam em alta (0,03%).

IPCA-15, prévia da inflação oficial

O índice tem por objetivo medir a inflação de um conjunto de produtos e serviços comercializados no varejo, referentes ao consumo pessoal das famílias.

Atualmente a pesquisa abrange as famílias com rendimentos de 1 a 40 salários mínimos, qualquer que seja a fonte.

Com divulgação na Internet iniciada em maio de 2000, o IPCA-15 difere do IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), apenas no período de coleta e na abrangência geográfica.

O levantamento do índice base da inflação é realizado em 11 áreas sendo as regiões metropolitanas de Belém, Fortaleza, Recife, Salvador, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, São Paulo, Curitiba, Porto Alegre, além do Distrito Federal e do município de Goiânia.

 

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes