Vacina russa na Venezuela: país busca por voluntários

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, anunciou que vai pedir voluntários para testar a vacina covid-19 desenvolvida pela Rússia.

A vacina Russa na Venezuela já está em fase de testes. O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, anunciou que vai pedir voluntários para testar a vacina contra o covid-19 desenvolvida pela Rússia.

A Rússia foi o primeiro país a registrar oficialmente uma vacina contra o coronavírus em 11 de agosto. Porém, os especialistas questionam se ele passou pelos testes necessários.

De acordo com o governo venezuelano, que recebeu bilhões de dólares em empréstimos da Rússia, eles estão dispostos a participar de testes clínicos.

 

vacina na russa na venezuela
Imagem: Reprodução / Rafael Urdaneta Rojas

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Vacina russa na Venezuela: chamada de voluntários

Sobre a vacina russa na Venezuela, o presidente Maduro anunciou: “Nos próximos dias, pediremos voluntários para receberem a vacina”.

Segundo os cientistas russos, os testes iniciais da vacina foram um sucesso. Contudo, a aprovação da vacina pelos reguladores veio antes da conclusão de um estudo maior envolvendo milhares de pessoas.

A declaração de Maduro indica que a Venezuela ainda não tem voluntários, sugerindo que o ministro da Saúde, Carlos Alvarado, se precipitou quando disse há dez dias que a Venezuela ofereceu à Rússia “500 voluntários para participar de testes de vacinas”.

O governo venezuelano também afirmou estar pronto para participar dos testes de vacinas chinesas e cubanas contra o Covid-19.

 

Política e vacinas do covid-19

China e Cuba, junto com a Rússia, são aliados ferrenhos de Nicolás Maduro, cujo governo está cada vez mais isolado depois que mais de 50 países, incluindo EUA e Reino Unido, reconheceram seu rival Juan Guaidó como presidente interino.

Contudo, as sanções dos EUA deixaram seu governo dependente de empréstimos da Rússia e de seus outros aliados restantes.

Depois que a Rússia anunciou que havia registrado a vacina Covid-19, que batizou de Sputnik V, Maduro parabenizou o país pela conquista.

Ele também disse que seria o primeiro a ser vacinado. “O primeiro a ser vacinado serei eu. Vou tomar a vacina, vou dar o exemplo”, disse Maduro no dia 16 de agosto.

No entanto, ao falar no domingo, ele não disse se estaria entre os 500 voluntários venezuelanos.

Atualmente, a Venezuela tem menos de 50.000 casos registrados de coronavírus e 381 mortes, um número muito menor do que outros países da região.

Contudo, os imunologistas dizem que o número real pode ser muito maior, já que muitos venezuelanos não fazem o teste por medo de serem estigmatizados depois que o governo culpou os migrantes que retornaram pela disseminação do covid-19.

Informar Erro
Fonte BBC

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes