Como funciona o rodízio suspenso para enfermagem em SP

Interessados precisam se cadastrar no site do Coren-SP

A partir desta quarta-feira, 19, o rodizio de veículos está suspenso na cidade de São Paulo para os profissionais da enfermagem. A decisão da Prefeitura se deve ao aumento dos casos de Covid-19 na capital e a consequente alta da ocupação de leitos hospitalares. A medida vale, em princípio, até o fim do mês de fevereiro. Saiba como funciona e como os profissionais podem se cadastrar e, assim, evitar as sanções impostas pelo não cumprimento do rodízio.

Rodízio suspenso para profissionais da enfermagem

Os profissionais da área de enfermagem da cidade de São Paulo estão liberados, até o fim de fevereiro, do rodízio de veículos na capital. A decisão da Secretaria de Mobilidade e Trânsito (SMT) e da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) começa a valer nesta quarta-feira, 19 de janeiro, à tarde. A suspensão já ocorre para os médicos desde 2020.

O pedido de isenção, feito pelo Conselho Regional de Enfermagem (Coren-SP), solicitava a suspensão do rodízio para enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem e obstetrizes que trabalham em unidades de saúde da rede pública e da rede privada. No entanto, a prefeitura atendeu o pedido de forma parcial, a fim de que seja feito um estudo de impacto no período.

Dessa forma, portanto, o rodízio de veículos fica suspenso até o dia 28 de fevereiro para todos os profissionais de enfermagem que atuam nos serviços públicos de saúde municipal, estadual ou federal da capital paulista e da região metropolitana, desde que seja comprovada a atividade profissional.

Como se cadastrar para conseguir a isenção?

Assim como ocorre com os médicos, os profissionais de enfermagem precisam se cadastrar para terem direito à isenção do rodízio na capital paulista. O cadastro para que o rodízio seja suspenso para os enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem que trabalham nos serviços públicos deve ser feito a partir das 16h no site do Coren-SP, que encaminhará os dados para a CET. Após a validação da isenção, a Companhia emite uma autorização especial para que os profissionais possam circular sem restrições.

Além de médicos e agora profissionais da área de enfermagem, estão isentas do esquema de revezamento as as pessoas com problemas de saúde que comprometam a mobilidade, em tratamento de doença grave ou quem faz o transporte delas e serviços públicos e/ou essenciais, como coleta de lixo, correios, serviços funerários, manutenção de rede elétrica, transporte escolar, transporte público, motos, entre outros. Carros com placas de outras cidades também precisam respeitar o esquema.

O rodízio de veículos na capital funciona assim:

  • Placas com finais 1 e 2: não podem circular das 7h às 10h e das 17h às 20h de segunda-feira
  • Placas com finais 3 e 4: não podem circular das 7h às 10h e das 17h às 20h de terça-feira
  • Placas com finais 5 e 6: não podem circular das 7h às 10h e das 17h às 20h de quarta-feira
  • Placas com finais 7 e 8: não podem circular das 7h às 10h e das 17h às 20h de quinta-feira
  • Placas com finais 9 e 0: não podem circular das 7h às 10h e das 17h às 20h na sexta-feira
Você pode gostar também
buy cialis online