Touro de Ouro da B3 é removido por falta de licença da prefeitura

A prefeitura também decidiu aplicar uma multa em razão de violação da legislação do município.

Durou apenas uma semana o Touro de ouro da B3. A escultura instalada em frente a Bolsa de Valores brasileira, no centro de São Paulo, foi removida na noite de terça-feira, 23 de novembro, por falta de autorização da prefeitura da cidade.

Por que o Touro de Ouro da B3 foi removido?

A escultura “Touro de Ouro” foi instalada no dia 16 de novembro em frente ao prédio da B3 – sigla para Brasil, Bolsa, Balcão – na rua XV de Novembro, no centro histórico da capital. O problema é que a instalação da estátua não recebeu autorização da Comissão de Proteção à Paisagem Urbana – órgão da Secretaria Municipal de Urbanismo e Licenciamento (SMUL).

Inicialmente, a instalação ficaria no local até o dia 15 de dezembro, mas o colegiado da prefeitura entendeu que a peça tinha caráter publicitário, o que viola a chamada “Lei Cidade Limpa”. Por isso, a prefeitura também decidiu aplicar uma multa em razão de violação da legislação do município.

Feita pelo artista plástico Rafael Brancatelli, 41 anos,  o monumento foi construído sobre uma estrutura metálica tubular com multicamadas de fibra de vidro de alta densidade e pintura de alta temperatura anticorrosiva. O Touro tem 5,10 metros de comprimento, 3 metros de altura e 2 metros de largura.

Em pouco tempo, a estátua se tornou alvo de protestos e recebeu uma chuva de críticas nas redes sociais. Para parte do público, o monumento está associado a desigualdade social do país. Para outros, a instalação é uma atração cultural da capital paulista.

O Touro de Ouro da B3 foi inspirada no Touro de Wall Street, estátua localizada no centro financeiro de Nova York. Nos EUA, a escultura representa “o otimismo e a força dos investidores” no mercado financeiro.

Leia também:

Que dia cai a primeira parcela do décimo terceiro?

Você pode gostar também