Vai ter Réveillon na Paulista? Veja o que muda para a virada

O tradicional Réveillon na Paulista reune mais de 1 milhão de pessoas e teve de ser reajustado por conta da pandemia da Covid-19

Em decorrência do novo coronavírus e, para não disseminar a doença entre os paulistanos, a tradicional Virada na Paulista ou Réveillon na Paulista foi cancelado pela prefeitura de São Paulo.

Uma das avenidas mais charmosas do país, que completou 129 anos ontem (08), conhecida popularmente por abrigar o centro financeiro do Brasil nas décadas de 70, 80 e 90, se tornou referência também por manter um palco gigante que atraía milhões de pessoas de todos os lugares no último dia do ano.

O Réveillon na Paulista contava com apresentação de shows de artistas renomados, queima de fogos e contagem regressiva para a virada do ano.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Covas e o Réveillon na Paulista

O prefeito Bruno Covas informou que, apesar das perdas econômicas para a cidade, é importante prover da manutenção da saúde de todos. “A área da saúde foi preponderante para que a gente tomasse essa decisão. Não há nenhuma possibilidade de se pensar nesse momento numa festa que reúne 1 milhão de pessoas. Claro que o réveillon na Paulista ajuda o setor de turismo, mas é um evento muito mais para os paulistanos do que para os turistas”, ressaltou.

Vai ter Réveillon na Paulista? Veja o que muda na virada do ano em SP
Réveillon na Paulista reúne mais de 1 milhão de pessoas (Foto: Marcelo Pererira/SECOM)

O coordenador do Centro de Contingência do estado de São Paulo contra o coronavírus, Paulo Menezes, afirmou que a decisão vai ajudar a salvar vidas: “Não é momento para pensar nisso. O Centro de Contingência fica mais tranquilo. Vamos evitar muitas mortes dessa forma, salvando vidas”, argumentou.

Outros cancelamentos

Com a pandemia da Covid-19, outros projetos que aconteciam na Avenida Paulista também tiveram que ser cancelados. Com o risco de contaminação do coronavírus o programa Paulista Aberta, que fechava a Avenida Paulista aos domingos para circulação de carros e abria para as pessoas, também esteve suspenso na quarentena. Este já foi retomado, porém uma via fica liberada para a locomoção dos veículos.

A tradicional corrida de São Silvestre no final do ano também foi cancelada para evitar que as pessoas se aglomerem.

Além do Réveillon na Paulista, autoridades também tiveram que cancelar megaeventos que são referência para a cidade de São Paulo. O Carnaval de rua, com tradicionais blocos também só acontecerão com a chegada da vacina contra a Covid-19.

Fase amarela em SP

O governador do estado de São Paulo, João Dória ao decretar medidas da fase amarela em SP, proibiu festas de fim de ano em bares, restaurantes e hotéis no Estado de São Paulo e recomendou ainda que, as festas particulares tenham apenas 10 pessoas, para evitarem o contágio do coronavírus.

Sobre o Réveillon na Paulista, Dória disse em julho deste ano que, megaeventos só serão liberados com a vacina pronta e aplicada. “É a maior tragédia da história desse país em qualquer tempo. Não há nada a celebrar, não há nada a comemorar. E muita atenção àqueles que diante de um quadro como esse ainda querem fazer atividades festividades de Ano Novo ou de carnaval. Nós não temos que celebrar nem Ano Novo, nem carnaval diante de uma pandemia”, finalizou.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes