Volta às aulas SP: quais os riscos da retomada?

A volta às aulas em SP iniciam nesta quarta-feira (7) para alunos do ensino médio e EJA. Também, retornam as atividades extracurriculares para o ensino fundamento, em toda a rede estadual.

A volta às aulas em São Paulo é opcional para os municípios, sinalizando uma retomada gradual do ensino presencial. O retorno deve começar nessa quarta-feira (7) para alunos do Ensino Médio e Educação para Jovens e Adultos (EJA) na rede estadual. Além disso, as escolas serão abertas para atividades extracurriculares, como aulas de idiomas, esportes e música para o ensino básico.

Sendo assim, nessa fase inicial apenas 20% dos alunos voltarão às escolas públicas e privadas de São Paulo. O ensino superior também poderá retomar as atividades, porém a decisão de retorno depende das reitorias universitárias de cada instituição.

A volta às aulas está prevista desde 18 de setembro, anunciada em coletiva de imprensa na Palácio dos Bandeirantes, sede do Governo Estadual de São Paulo. “O Governo decidiu iniciar o retorno pelos alunos matriculados no ensino médio, EJA e nos Centros de Educação de Jovens e Adultos (CEEJA) porque são os ciclos de ensino que podem ser mais afetados pela evasão escolar, prejudicando os estudantes mais vulneráveis”, declarou o governador João Doria.

Você sabe quais os riscos da volta às aulas? E os cuidados? Saiba, a seguir.

Quais são os riscos da volta às aulas em SP?

Mesmo com a queda no número de casos confirmados e mortes por coronavírus nas últimas semanas, no estado de São Paulo, ainda há riscos. Ainda mais com exemplos semelhantes ao redor do mundo. Os Estados Unidos, por exemplo, observou aumento expressivo no número de infectados por Covid-19, após a retomada das aulas presenciais em agosto de 2020.

Os casos de Covid-19 entre crianças aumentaram 90%, de acordo com a Academia Americana de Pediatria e Associação de Hospitais Infantis dos EUA.  Depois disso, as atividades escolares foram suspensas. De forma semelhante, o fato se repetiu na França e em Israel, mais recentemente.

Sabendo disso, a Secretaria Estadual de São Paulo lançou cartilhas com orientações para pais, alunos e professores sobre volta às aulas. Higienização das salas de aula antes de cada turno e dos banheiros a cada três horas são algumas medidas de recomedação para as escolas. Além disso, os alunos deverão ter seu próprio copo ou garrafa e não compartilhar objetos e materiais. Também, a obrigatoriedade do uso de máscaras durante todo o período de aula e a disposição de álcool em gel 70%.

Quais os cuidados?

Os cuidados para prevenção do Covid-19 são lavar às mãos com água e sábão, uso de álcool em gel 70%,  máscaras que cubram nariz e boca, além do distanciamento social de, no mínimo, 1,5m entre pessoas. Contudo, esta última recomendação é a mais preocupante no caso das crianças.

Pensando nisso, o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), publicou um artigo com orientações para a volta às aulas. Sendo assim, a marcação de lugares, incentivo à lavagem das mãos sempre que possível. Além disso, monitoramento de cada criança, com verificação de temperatura na entrada da escola e observação de sintomas comuns de Covid-19.

Em entrevista ao jornal Estadão, o chefe do departamento de Saúde Escolar da Sociedade de Pediatria de São Paulo, Fausto Flor Carvalho ressaltou a observação das crianças durante as atividades escolares. Ele ressaltou que “a maior parte das crianças não tem sintomas. “O acompanhamento é complexo”, acrescentou.

Além disso, os cuidados no transporte escolar das crianças devem ser prioridade. Ainda segundo Carvalho, “é recomendável que veículos usem apenas de 30% a 40% da sua lotação e deixem as janelas abertas”, para evitar aglomerações e possíveis infecções pelo novo coronavírus.

Sala de aula com crianças usando máscaras
Foto:reprodução/istock

Quem pode voltar às aulas em SP?

Apesar da volta às aulas para estudantes do ensino médio e do EJA da rede estadual, bem como de crianças do ensino fundamental para atividade extracurriculares, nem todos poderão frequentar o ambiente escolar. Segundo a Secretaria Estadual de Educação de São Paulo, alunos e servidores que apresentarem um ou mais sintomas de Covid-19 ou contato com alguém que testou positivo nos últimos 14 dias não podem voltar às aulas. Além disso, pessoas do grupo de risco também devem permanecer em isolamento social.

Sintomas de Covid-19

Os principais sintomas de Covid-19 são febre, calafrios, dor de garganta, tosse, dor de cabeça, coriza, perda de olfato e/ou de paladar, diarreia e dor no corpo. Contudo, a apresentação dos sintomas depende do organismo da pessoa infectada. Ou seja, uma pessoa contaminada assintomática. Portanto, o uso de máscaras e álcool em gel são indispensáveis.

Grupos de Risco

São considerados grupos de risco, pessoas com 60 anos ou mais, gestantes e obesos móbidos, a saber, com IMC maior que 40. Além disso, portadores de doenças crônicas, diabéticos e que estão com câncer em tratamento. Pessoas que usam medicamentos imunossupressores e imunobiológicos também se enquadram nos grupos de risco. Portanto, indivíduos que se enquadram em algum desses grupos não podem voltar às aulas em São Paulo.

 

Você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.