16 motivos que podem te excluir da prorrogação do auxílio emergencial

A prorrogação do benefício está sendo paga aos cidadãos que foram considerados elegíveis após a revisão mensal

Para o pagamento da prorrogação do auxílio emergencial, o Ministério da Cidadania e a Dataprev continuam fazendo a revisão das informações dos beneficiários. Assim, são utilizados diferentes bancos de dados, com o intuito de verificar a elegibilidade e proceder com as suspensões de pagamentos, caso seja necessário.

Isso acontece quando o beneficiário descumpre os critérios que foram estabelecidos pela Medida Provisória nº 1.039/2021. Por isso, listamos os 16 principais motivos que podem te excluir da prorrogação do auxílio emergencial 2021.

Quem tem direito à prorrogação do auxílio emergencial?

O governo federal irá pagar mais três parcelas confirmadas para agosto, setembro e outubro, mas elas só serão pagas para os beneficiários que foram aprovados no programa em 2020 e continuam elegíveis ao benefício.

Neste grupo estão os cidadãos que se cadastraram para receber o auxílio emergencial pelo site e aplicativo do programa, como pessoas desempregadas, trabalhadores autônomos, cidadãos de baixa renda inscritos no Cadastro Único (CadÚnico) do Governo Federal e microempreendedores individuais (MEI).

Também podem receber o benefício os cidadãos inscritos no Bolsa Família. Neste caso, o pagamento é liberado quando o valor do auxílio emergencial for considerado mais vantajoso. Então, para ter direito à prorrogação do auxílio emergencial ressaltamos que é preciso continuar cumprindo os requisitos que estão relacionados principalmente à renda familiar.

O limite permitido é de até três salários mínimos, desde que a renda por pessoa seja inferior a meio salário mínimo. É importante lembrar que não haverá possibilidade de realizar novas inscrições.  

Motivos que podem te excluir da prorrogação

São várias as situações que podem causar o bloqueio dos pagamentos da prorrogação do auxílio emergencial 2021. Então, conheça os 16 principais motivos e fique atento para não ser excluído dos próximos pagamentos. Dentre eles, estão:

  1. ter vínculo de emprego formal ativo;
  2. receber benefício previdenciário,
  3. receber benefício assistencial;
  4. receber seguro-desemprego;
  5. residir no exterior;
  6. receber o BEm (Programa Emergencial de Manutenção do Emprego);
  7. ter menos de dezoito anos de idade, exceto no caso de mães adolescentes;
  8. possuir registro de óbito nas bases de dados do Governo federal;
  9. ter seu CPF vinculado, como instituidor, à concessão de pensão por morte;
  10. ter renda familiar mensal per capita acima de meio salário-mínimo;
  11. ser membro de família que tenha renda mensal total acima de três salários mínimos;
  12. ter recebido no ano de 2019, rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70;
  13. estar com o auxílio emergencial ou auxílio emergencial residual de 2020, cancelados no momento da avaliação da elegibilidade para o Auxílio Emergencial 2021;
  14. estar preso em regime fechado ou tenha seu número no CPF vinculado, como instituidor, à concessão de auxílio-reclusão;
  15. ser estagiário ou beneficiário de bolsa de estudos concedidas por órgão público municipal, estadual, distrital ou federal;
  16. não tenha movimentado os valores relativos ao auxílio emergencial.

Como saber se fui excluído da prorrogação do auxílio?

Após a revisão mensal, a Dataprev libera a lista de aprovados para receber as parcelas mensais. Então, para confirmar se você receberá ou não o pagamento da extensão do auxílio emergencial, acesse o Portal de Consultas da Dataprev. A plataforma é exclusiva para os assuntos relacionados ao auxilio emergencial.

Desta forma, você pode conferir a situação das suas parcelas, além da data de depósito do benefício na conta poupança social digital. O acesso é feito mediante as informações como o nome completo do beneficiário, CPF (Cadastro de Pessoas Físicas), data de nascimento e nome da mãe.

Para aqueles que continuam elegíveis, a Caixa Econômica Federal também está enviando mensagens através do whatsapp. Então, se você estiver com o número de telefone atualizado junto ao Caixa Tem e atender aos requisitos do programa receberá os informativos da Caixa.

Não concordo com a exclusão, o que fazer?

Caso você verifique que o pagamento da prorrogação do auxílio emergencial consta como “bloqueado”, clique em “Saiba Mais”, para verificar o motivo da suspensão do pagamento. Assim, o cidadão poderá fazer a contestação do resultado da análise. Como de costume, a Dataprev concede 10 dias corridos para contestar a decisão no site.

O período de contestação deve ser disponibilizado em breve, mas fique atento: existem motivos que causam a exclusão da prorrogação do auxílio emergencial e que não poderão ser contestados. Esse caso é chamado de inelegibilidade definitiva, visto que a situação que resultou no indeferimento não vai se alterar. Como exemplo, podemos destacar as seguintes situações:

  • Você é servidor público de estado ou município, de acordo com informações da Controladoria- Geral da União (CGU);
  • Uma pessoa da sua família já está recebendo o Auxílio Emergencial 2021;
  • Você declarou rendimentos tributáveis superiores a R$ 28.559,70 no IR do ano de 2019;
  • Você aparece como dependente de alguém que declarou rendimentos tributáveis superiores a R$ 28.559,70 em 2019;

Por outro lado, se atende aos critérios do auxílio 2021 mas está apenas com os dados desatualizados ou incorretos, como CPF ou a data de nascimento,  saiba que é possível fazer a contestação. Essa situação é chamada inelegibilidade passível de recursos, então, regularize seus dados e peça a nova análise no site da Dataprev. Assim, o órgão responsável fará novamente a análise e divulgará a decisão definitiva. 

 

LEIA TAMBÉM: Prorrogação auxílio emergencial 2021: quem tem direito?

Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes