Auxílio Brasil vai aumentar para R$ 600? Veja valor do benefício

Atualmente, valor mínimo do benefício pago para algumas famílias brasileiras é de R$ 400

No último mês, o presidente Jair Bolsonaro sancionou uma lei que garante o pagamento mínimo de R$ 400 para as famílias beneficiárias do Auxílio Brasil. O texto elevou a média do valor disponibilizado pelo programa, que era de R$ 224. No entanto, apesar do recente reajuste, alguns beneficiários ainda se questionam se Auxílio Brasil vai aumentar para R$ 600.

Auxílio Brasil vai aumentar para R$ 600?

Antes da sanção presidencial a Lei 14.342, realizada em maio deste ano, alguns integrantes da oposição chegaram a propor que o valor mínimo do Auxílio Brasil fosse reajustado para R$ 600. No entanto, na avaliação do Governo Federal, o aumento no benefício causaria um grande impacto para os cofres públicos. Dessa forma, ficou definido que o valor mínimo do pagamento é de R$ 400.

Além disso, a legislação prevê que o valor seja liberado de forma permanente. Portanto, não existe previsão de reajuste. No entanto, para algumas famílias existe a possibilidade do Auxílio Brasil aumentar para R$ 600. Isso porque o cálculo realizado pelo programa pode incluir outros benefícios.


Entenda o cálculo do Auxílio Brasil

O valor liberado para as famílias é calculado a partir da soma dos benefícios financeiros que atendem os brasileiros que vivem em situação de pobreza ou de extrema pobreza e fazem parte do Auxílio Brasil. São eles:

  • Benefício primeira infância: R$ 130 para famílias com crianças de até três anos incompletos;
  • Benefício composição familiar: R$ 65 mensais para famílias com gestantes, lactantes ou pessoas entre três e 21 anos incompletos. De acordo com o Governo Federal, o valor é pago uma vez para cada membro da família que se enquadre nessas situações;
  • Benefício de superação da extrema pobreza: Sem valor fixo, é calculado individualmente com o objetivo de auxiliar as famílias que vivem em situação de extrema pobreza a ultrapassar a renda de R$89,00 mensais por pessoa.

Outros benefícios que podem aumentar o valor do Auxílio Brasil

Segundo com o Governo Federal, outros cinco benefícios podem ser incluídos no pagamento do Auxílio Brasil e aumentar o valor disponibilizado para as famílias. Para aqueles que se enquadram em algum critério mas ainda não recebem o valor extra, é preciso atualizar as informações em uma unidade do Cadastro Único e aguardar o processamento dos dados pelo Ministério da Cidadania. Confira os benefícios extras e os valores pagos:

  • Auxílio Inclusão Produtiva Rural: Benefício que atende cidadãos que vivam na zona rural em locais de extrema vulnerabilidade e que não possuem condições financeiras de investir em pequenas produções. Auxílio extra é pago em parcelas mensais de R$ 200,00 por família.
  • Auxílio Inclusão Produtiva Urbana: Auxílio extra é pago para beneficiários que comprovam possuir vínculo de emprego com carteira assinada. Benefício concede parcelas mensais de R$ 200,00 por família.
  • Bolsa de Iniciação Científica Júnior: Benefício concedido a estudantes integrantes de famílias beneficiárias do Auxílio Brasil que tenham se destacado em competições acadêmicas e científicas nacionais. São pagos R$ 100,00 referentes a cada uma das doze parcelas mensais pagas ao estudante, além de R$ 1 mil em uma única parcela paga à família.
  • Auxílio Esporte Escolar: Concedido a atletas escolares integrantes de famílias que recebam os benefícios financeiros do Programa Auxílio Brasil e que tenham entre 12 e 17 anos incompletos. Assim como no caso da Bolsa de Iniciação Científica Júnior, são pagos R$ 100,00, referentes a cada uma das doze parcelas mensais pagas ao atleta, mais R$ 1 mil em parcela única paga à família.
  • Benefício Compensatório de Transição: Atende famílias do antigo Bolsa Família que tiveram redução no valor total dos benefícios após a migração para o Auxílio Brasil. De acordo com o Governo Federal, não há um valor fixo para o BCOMP, que varia de acordo com os valores recebidos pelas famílias anteriormente ao Auxílio Brasil. Para o cálculo, é considerado o valor total dos benefícios do Bolsa Família recebidos pela família no mês anterior à extinção do programa.

Leia também:


Tabela do Auxílio Brasil 2022: pagamento de junho cai a partir do dia 17

Você pode gostar também