Auxílio emergencial foi negado? Veja como contestar até 12 de abril

O Dataprev divulgou a lista dos novos participantes do auxílio emergencial na última sexta-feira

A lista de aprovados na nova rodada do auxílio emergencial saiu na sexta-feira (02). Alguns beneficiários do recurso do governo federal tiveram suas análises negadas. No entanto, é possível recorrer da decisão do Dataprev até o dia 12 de abril, pela internet.

A principal regra para fazer a contestação é ter recebido o auxílio emergencial em dezembro. Caso você tenha já tenha recebido a ajuda na data e não esteja na lista de pagamentos, que começa no próximo dia 6 de abril, é possível contestar.

Como ver o resultado do auxílio emergencial?

  1. O primeiro passo é entrar no ‘Portal de Consultas do Governo Federal – Dataprev’ (https://consultaauxilio.cidadania.gov.br/consulta/#/);
  2. Em seguida, basta informar o nome completo;
  3. Logo após, preencha o nome da mãe (caso não tenha registro de mãe, basta selecionar a opção Mãe desconhecida);
  4. Informe a data de nascimento;
  5. Feito isso, selecione a opção não sou um robô, em seguida, clique em enviar.

Caso você seja um beneficiário, o crédito aparecerá junto a data de disponibilidade do benefício.

Como contestar auxílio emergencial?

Após a consulta no Dataprev, é possível saber se está apto ou não ao recebimento do benefício, conforme os critérios de 2021. Caso apareça “Inelegível“, o cidadão pode selecionar a opção “Contestar“. A reclamação só é aceita pelo sistema com base em critérios passíveis de contestação. É possível contestar a decisão até o dia 12 de abril, sendo assim, dez dias úteis para recorrer.

Caso o beneficiário receba a primeira parcela e, mesmo assim, o pagamento seja cessado, devido a reavaliação mensal feita pelo Dataprev, também é possível contestar. Sendo assim,  é necessário ficar de olho no sistema para saber a atualização mensal. As parcelas canceladas poderão ainda ser pagas também por decisão judicial ou processamentos de ofício efetuados pela pasta.

Lista de quem não tem direito ao auxílio

  • Trabalhadores com carteira assinada;
  • Quem recebeu o auxílio emergencial em 2020, mas não movimentou o dinheiro;
  • Quem teve o auxílio emergencial ou residual cancelado em 2020;
  • Cidadãos que recebem benefício previdenciário, assistencial ou trabalhista ou de programa de transferência de renda federal, com exceção do abono salarial e Bolsa Família;
  • Quem mora no exterior;
  • Quem está preso em regime fechado ou tenha o CPF vinculado ao auxílio reclusão;
  • Pessoas com menos de 18 anos de idade, com exceção de mães adolescentes;
  • Estagiário, residente médico ou residente multiprofissional e beneficiário de bolsa de estudo.

Qual o valor do auxílio emergencial 2021?

O valor médio do auxílio emergencial deste ano é de R$ 250, mas os beneficiários poderão receber parcelas de R$ 150 e R$ 375, dependendo da composição familiar.

  • Famílias com mais de uma pessoa e que não são chefiadas por mulheres recebem parcelas de R$ 250;
  • Pessoas que moram sozinhas recebem parcelas de R$ 150;
  • Mulher provedora de família mono-parental (mãe solteira) recebem parcelas de R$ 375.

Leia também:

Veja como saber se foi aprovado no Auxílio emergencial 2021

Você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

8 Comentários
  1. Avatar of denize
    Denize Diz

    Já consultei e porque não aparece o botão contestação?

    1. Avatar of thais rocha
      Thais rocha Diz

      Meu auxílio foi bloqueado não sei o motivo sou mãe solteira tenho 3 filhos moro de aluguel e estou desempregada vivendo da ajuda da minha mãe e do auxílio que bloquearam era pra mim ter recebido hoje pois sou de novembro o dinheiro não caiu e fui procurar saber o motivo e estou bloqueada não tenho o direito de contesta pois a data de consteta já se expirou dia 26 mas como eu ia saber ? Não sou nenhuma adivinha só descobri hoje porque o dinheiro não caiu ,por favor me ajudem oque devo fazer?

  2. Avatar of ana lucia peixoto ribeiro
    Ana Lucia Peixoto Ribeiro Diz

    Sou de agosto deveria ter recebido o auxílio dia 26/06 na antecipação só que não caiu fui ver o porquê e consta que estou bloqueada sendo que. Nada mudou contínuo desempregada sou mãe solo e não consigo fazer a contestação. Como resolver? Sendo que vinha recendo tudo certinho um absurdo

  3. Avatar of viviane
    Viviane Diz

    Sou mãe solteira desempregada, moro de favor na casa de minha irmã, tenho uma filha pequena pra sustentar , meu único recurso de sustento nesse momento era o auxilio.
    Não consegui receber a terceira parcela pq vcs bloquearam , não sei qual foi o motivo, também não está dando pra contestar.
    Quero saber como fica isso pq vcs nunca respondem ou o formam merda nenhuma, só sabem fazer o povo de palhaço essa é a verdade. Desbloqueia esse auxílio pq nossos filhos precisam comer, não é justo o que vcs estão fazendo. Vcs verificam tanto e nem vê que tem muita gente que não precisa e está recebendo, e nós que realmente precisamos vcs bloqueiam

  4. Avatar of simone
    Simone Diz

    Absurdo tenho dois filhos mãe solteira moro de aluguel tbm recebi a primeira parcela de 375 e as demais foram bloqueadas pq estão dizendo que tenho dois carros em meu nome com valores absurdos se eu tivesse esses dois carros no meu nome ja tinha vendido e nem precisava de auxílio nenhum aff palhaçada quem no precisa recebe aí vc vai contestar não tem direito indignada .

    1. Avatar of maria
      Maria Diz

      Oiii réu tambem sou mãe solteira e recebi 150….eu não emtendi nada
      Conheço pessoas próxima de mum que está recebendo até 375 é nem filho tem …!!! Vai entender esse lixô de dataprev

  5. Avatar of audileia f dias
    Audileia f dias Diz

    Meu auxílio foi cortado dizendo que tenho emprego formal. Mais não estou trabalhando sou mãe solteira moro de aluguel. Não consigo contestar estou precisando muito desse dinheiro pois não consigui arrumar nenhum serviço. Como devo fazer

  6. Avatar of maria
    Maria Diz

    Para meu ver ..só trabalha vagabundo na dataprev…..porque não tem outra explicação para tamanha preguiça de ver quem tem direito a receber ou não